Exposição “Teia de Thanatos” estreia ‘Partilhas Francas’ no Teatro Baltazar Dias

Redação

É já amanha, dia 20 de maio, pelas 18 horas, que a exposição “Teia de Thanatos” de Gonçalo Ferreira Gouveia estreia a iniciativa ‘Partilhas Francas’ na “Porta do cavalo” e na “Teia” do Teatro Municipal Baltazar Dias.

A mostra estará disponível para ser visitada pelo público até ao dia 25 de junho de 2021 e é a primeira de cinco que fazem parte do projeto “partilhas Francas”, iniciativa do curador artista plástico Diogo Goes e sob a chancela da Candidatura do Funchal a Capital Europeia da Cultura.

A “Teia de Thanatos”, de Gonçalo Ferreira de Gouveia, estabelece diálogos cruzados entre acervos e vivências do Teatro Municipal e do Museu Henrique e Francisco Franco. A exposição engloba duas peças de espólios municipais e dez peças da autoria de Gonçalo Gouveia, como pinturas, fotografias e terracotas.

As ‘Partilhas Francas’ estarão presentes em seis espaços museológicos ou culturais da cidade do Funchal e além de Diogo Goes foram elaboradas em conjunto com vários artistas. As cinco exposições têm por base o espólio dos museus municipais, revisitando as peças do património do Funchal e proporcionam ao público novas visões e novas leituras sobre a arte, a história e a sua relação com a cidade.

A próxima exposição do projeto ‘Partilhas Francas’ será a 27 de maio, altura em que a Galeria Marca de Água abrirá as portas a uma exposição coletiva que conta com os contributos de Diogo Goes, Fátima Spínola, Fernando Ricardo, Flávia Rodrigues Piątkiewicz e Gonçalo Gouveia.

A 11 de junho, a instalação ‘Espinhos e acúleos’, de Martinho Mendes, consagra uma relação plástica entre o Museu Cidade do Açúcar e o Museu Henrique e Francisco Franco. A 18 de junho, Teresa Jardim urde um “Pulmão de Papel”, operação que explora o imaginário insular e terá como palco a Capela da Boa Viagem. A 25 de junho, Hélder Folgado e João Almeida revelam “A terceira paisagem” na torre mirante dos Paços do Concelho.