MADEIRA Meteorologia

Artigo de Opinião

31/07/2021 08:01

O Bruno Vitorino, no Barreiro, promete "Tolerância Zero à porcaria de cão no chão". O Paulo Gonçalves, em Óbidos, "É o marido da Lara" e quer ser o presidente de todos. De Ervidel, chega-nos a Andreia Piassab, candidata a presidente daquela junta de freguesia. O Jorge Extermina, do PCP-PEV, quer, claramente, arrasar a concorrência em Creixomil. Haja vontade e tempo, a risota é garantida.

No entanto, embora goste de uma boa piada, venho falar-vos de outro tipo de tesourinhos autárquicos.

Relembro as palavras do deputado do PSD na AR e candidato à Câmara Municipal de Torres Vedras, Duarte Pacheco, "há quem goste de caçar, há quem goste de pescar, eu gosto do fitness", no meu caso pessoal, nem caça, nem pesca, nem fitness, eu gosto é de consultar os contratos públicos online no basegov.pt.

Peculiar? Provavelmente. No entanto, descobrem-se tantos tesourinhos que oneram o erário publico, esses sim, muito peculiares. Ora vejamos.

A frutose de Lisboa é melhor que a do Funchal

250 mil euros, adjudicados pela Câmara do Funchal, a uma empresa com sede em Lisboa. A descrição do contrato diz-nos ser para "Aquisição de fruta e produtos hortícolas no âmbito da iniciativa municipal "Funchal, Cabaz Vital" - Fase III". Então os produtos alimentares destes cabazes não eram fornecidos pelas diferentes barracas dos Mercados Municipais? Não era uma medida para ajuda às famílias e aos empresários da cidade? Gostava de ouvir a justificação para esta contratação extra município, mas sem açúcar se faz favor.

Querido mudei a casa- versão "Paga o Funchalense"

Se bem se lembra da ladainha e choraminguice do orçamento chumbado, da coligação negativa na Assembleia Municipal, e de outras palermices, para justificar o desmazelo, a falta de cuidado, a escassa ajuda e o parco investimento nas pessoas e nas empresas, vai ficar admirado com o próximo achado de contratação pública. Ora, num ano em que não foram capazes de isentar as rendas dos espaços comerciais concessionados pelo município, em que não apoiaram as rendas sociais a quem perdeu rendimentos, em que não eliminaram a derrama sobre as empresas do concelho, gastaram quase 102 mil euros em mobiliário de escritório para a Divisão de Ciências. A urgência de novo mobiliário com funcionários em teletrabalho não tem preço. Ou melhor, até tem: é ler a frase anterior.

Terras de Amigos "Reserva Especial"

Costumam dizer que quem tem um bom amigo tem tudo. Que o diga o Presidente da Junta de Freguesia de São Martinho, que viu no último ano, dois contratos adjudicados pelo amigo, o Presidente de Câmara, um no valor de 17 mil euros para um parque infantil e outro de 72 mil euros para, e cito, "diversos melhoramentos" numa escola de 1º ciclo com pré-escolar dessa freguesia. Pena que o Presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, esteja ocupado a distribuir amêndoas e a dar tinta com isolante em casas sem condições de habitabilidade, que foram entregues por este executivo camarário, senão lembrava-se do tempo que demorou a "arranjar" a verba para a cobertura do polidesportivo da Escola do 1º Ciclo com PE Ribeiro Domingos Dias, que até tinha ganhado o Orçamento Participativo em 2017, mas só teve teto em 2021.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Quem vence o Campeonato Europeu de Futebol?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas