MADEIRA Meteorologia

Artigo de Opinião

Médico-Dentista

14/05/2023 08:00

Atenção que não estou a criticar a iniciativa. Antes pelo contrário. Só acho que podiam ter resolvido de outra forma. E bem mais célere. Como? Pedindo ao Sr. Dr. Prior que se pronunciasse. Não, nem era preciso mexer uma palha. Bastava apenas que dissesse, como fez, que o vento forte continuaria forte por mais uns dias. Assim que o garantiu, foi remédio santo. A brisa amainou e o movimento no Aeroporto da Madeira voltou ao normal. Ok. Um ou outro foi para trás. Alguns andaram às voltas. Aqui ou ali atrasaram. Mas isso não é já o normal? É pois. Tanto que agora, para além do comandante Timóteo, o piloto Miguel Albuquerque também quer que os limites do vento sejam revistos. "Estamos a fazer todas diligências no sentido de retomar esses estudos e grupos de trabalho", afiançou. E desengane-se quem achar o contrário. O homem até já domina a coisa. "A diferença de 5 nós já seria muito significativa e permitiria que 80% dos aviões conseguissem aterrar". Queriam ser assim?! Estudassem…

Em estudo está também uma matéria sensível. A ideia é perceber como foi possível só agora, a dois meses de prescrever o caso, se darem conta de que o pagamento à Segurança Social, por parte do gerente do "Fugitivo", não foi feito nem tampouco notado. Se me permitem a ousadia, posso tentar ajudar… Não posso dizer que tenha grande conhecimento de causa. Longe disso. Só fui uma vez a essa casa de chá. Ainda nem me tinha habituado à fraca luminosidade e, chegado ao último degrau, já tinha uma senhora, solícita reconheço, a perguntar-me se ia querer o scone dela. Lembro-me de ter ficado tentado. Tinha pouco mais de 18 anos e uns 30 kg em cima. Quem me queria bem era me dar bolos! Astuta, tocou no meu ponto fraco e eu hesitei. "São 150 euros", disse ela com o sotaque do Brasil, mas já com enorme à vontade com a moeda. Na altura eu ainda estava habituado a escudos e fiquei tentado. Mas assim que fiz a conversão, recusei. Era muito! Agora percebo que, se calhar, me precipitei… Se soubesse que era para ajudar a pagar ao Estado, tinha, porventura, feito um sacrifício! Valha-me Deus.

Mudando de assunto. Ou nem por isso. Estes dias soube-se que afinal o Padre Anastácio está a ser bem defendido. Arranjou uma equipa de advogados impecável! Se inicialmente eu achei que não ia ser preciso pois ninguém o queria receber… Depois de se confessar abusador é que foram elas (ou eles, neste caso). Do nada, os causídicos contestaram a acusação! Juro. Entre outras coisas implicaram com a transcrição de uma conversa em que o ofendido terá respondido que foi importunado umas "quantas vezes" e a versão que consta na acusação são "quatro vezes". Acham mal? Terão pecado por defeito? Não sei. Não faço ideia. O que eu sei é que os senhores doutores não se vão deixar ficar por aqui. Prova disso é que já se preparam para uma deslocação aos arredores de Paris para apurar mais informações sobre o tempo em que o santo padre esteve na paróquia portuguesa de Gentilly. Parece-me bem. O nome da paróquia, claro! Faz-me lembrar outra coisa. Que lambuza. Delícia. Hummmm. Esqueçam…

Para esquecer é também o processo do motorista do autocarro do acidente do Caniço. Era uma vez! O senhor foi mais rápido a dar despacho do que o Ministério Público. Este está, apenas, há 4 anos para o fazer. Ou melhor, estava. É que agora os tribunais dizem que a morte do malogrado dita o fim do processo-crime. "Seguem-se outras diligências", garantem. Não duvido! Mas se se continuar à mesma velocidade aposto que vamos todos chegar ao fim antes de se saber no que deu…

Morto para ver o que vai dar estou eu com a questão do Rali Vinho Madeira em Santana. Passa? Não passa? O que se passa? Se por um lado Paulo Fontes ameaçou excluir a cidade do percurso da prova rainha por falta de apoio camarário, Dinarte Fernandes refuta as acusações e garante estar apenas a cumprir procedimentos e respeitar orientações da Inspeção de Finanças. Depois da briga de trânsito, eis que surge a hipótese de reconciliação. O primeiro mostrou abertura para receber, na próxima semana, o edil santanense na sede do Club Sports Madeira. O segundo também garantiu ter a porta da Câmara escancarada das 9 às 17h e, se preciso for, ainda faz horas extra. "Até à meia noite", disse prestimoso. Estou mesmo a ver. Vou ter que acabar com isto e dar boleia a um deles. Vá. Decidam-se. Terça e quarta de manhã ou quinta à tarde?

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Concorda com a mudança regular da hora duas vezes por ano?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas