Albuquerque convida Boris Jonhson para passar a lua-de-mel na Madeira

Redação

O presidente do Governo Regional da Madeira escreveu hoje uma carta ao Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, a convidá-lo para passar a sua lua-de-mel na Madeira, lembrando que tal aconteceu com uma antecessora sua, Margaret Thatcher, que a gozou na Região em 1951.

Na carta enviada ao governante, Miguel Albuquerque assegura a Johnson que a ilha da Madeira é um destino seguro, e recorda que, apesar das dificuldades, desde o início da pandemia que é considerado mesmo o destino mais seguro da Europa.

Miguel Albuquerque diz estar certo que os resultados das medidas implementadas demonstraram a eficácia no controlo da crise pandémica promovida pelo Governo Regional, assegurando que a Madeira implementou cuidadosas medidas de saúde e testes à chegada, assim como foi concretizado um manual de boas práticas para o setor do turismo no sentido de receber os turistas em segurança, salvaguardando visitantes e residentes.

Na carta é lembrada a operação de triagem nos aeroportos da Madeira e do Porto Santo para controlar as chegadas com teste de PCR negativo para o SARS-Cov-2 já feito, ou para quem não os tivesse, o possa fazer depois de aterrar.

É recordado também a criação, em julho de 2020, da plataforma online para viajantes “Madeira Safe”, uma aplicação que permite monitorizar o estado de saúde dos passageiros. E, para confirmar as boas práticas na Madeira, o Presidente do Governo aponta a certificação inteira do destino Madeira com o “Madeira Safe to Discover Certificate”.

Neste âmbito, é referido ao primeiro-ministro que, desde 4 de janeiro do corrente ano, para facilitar a entrada livre de viajantes, o Governo Regional da Madeira implementou o “Corredor Verde”, no qual passam os passageiros vacinados ou que já tenham tido a doença SARS-Cov-2.

Outro ponto relevado na carta é que tem sido feito um trabalho intenso de testes na Região e que tem sido implementada uma campanha intensa de vacinação, abrangendo já mais de 40% da população, com pelo menos uma dose da vacina.

A concluir, Miguel Albuquerque assegura que “a Região assumiu o compromisso para criar condições que garantam a segurança dos residentes e viajantes face aos correntes desafios no sentido de proteger a saúde de todos e restaurar a nossa pequena economia”.

No final da carta são lembrados ao Primeiro-Ministro os laços históricos que existem entre o Reino Unido e arquipélago da Madeira.