Festas de São Pedro estão de volta à Ribeira Brava. Veja as primeiras imagens

O São Pedro da Ribeira Brava, considerado um dos maiores arraiais da Madeira, está de volta com toda a força e com muita animação.

A festa arrancou domingo com os enfeites e a iluminação e termina no dia 3 de julho, com a celebração do Santíssimo Sacramento. Pelo meio, muita música e o reavivar de algumas tradições que se mantêm ao longo de gerações, com destaque para a espetada no calhau que é um marco muito antigo deste arraial.
Hoje, véspera de São Pedro, é dia de romagens e de comtemplar a charola feita na Fajã da Ribeira com produtos agrícolas e o Barco da Achada que transporta a imagem de São Pedro, ambos expostos junto à Igreja matriz. À noite, a partir das 22 horas, arrancam as marchas populares com 13 grupos e cerca de 600 participantes.
Por outro lado, o ‘São Pedro’ oferece uma vertente lúdica que junta em palco artistas da Ribeira Brava (Kontratempo, Júlia Ochôa e João Vinagre) e artistas nacionais (Jorge Guerreiro, Nuno Ribeiro e The Gift) que começam a animar a malta a partir de quinta-feira até sábado.
O presidente da Câmara, Ricardo Nascimento, congratula-se, em comunicado, com o regresso desta festa que é um marco no concelho e em toda a Região e prevê “casa cheia”, com muita gente das várias partes da ilha. “Tem sido assim, mas este ano, com o aliviar da pandemia, achamos que as pessoas têm necessidade e vontade de festejar e de estar com os amigos”, refere o autarca, salientando que há espaço para todos.
Por essa razão, a Autarquia voltou a investir neste arraial que é visto como uma “mais-valia em termos de dinamismo comercial”.
Em termos de oferta comercial, a festa conta com 60 barracas de várias áreas de negócio, para além do comércio tradicional que complementa a gastronomia da festa.