MADEIRA Meteorologia

Artigo de Opinião

Professor Universitário

28/12/2023 08:00

O ano de 2023 está a terminar e nada melhor que escrever este último artigo do ano a partir da zona mais turística do Funchal, a estrada monumental que atravessa a bonita e bem conhecida zona do Lido, onde por estes dias me encontro a passar a quadra natalícia junto da família.

Este ano foi certamente um ano cheio de coisas boas para muitos dos leitores do JM, já para outros, trouxe desafios e novos recomeços. A Madeira vive por estes dias tempos de paz, estabilidade política e crescimento económico. O seu clima, gastronomia e qualidade de vida têm contribuído para potenciar cada vez mais o turismo e o setor imobiliário, que em 2023 alcançaram resultados extraordinários.

Existe, porém, a outra Madeira, a de quem cá vive e trabalha. Para muitos, 2023 foi um ano longo e exigente... onde a inflação exponencial no preço dos bens alimentares, o aumento dos juros do crédito à habitação, e o agravamento dos preços no acesso à habitação, nomeadamente no mercado de arrendamento levaram muitos madeirenses e porto-santenses a situações de pobreza e vulnerabilidade social.

Contudo, apesar de todos os desafios e constrangimentos sentidos em 2023, a Madeira soube, através da visão do seu governo e demais entidades regionais, responder eficazmente através de diferentes programas e políticas públicas direcionadas à proteção dos cidadãos e à promoção da economia.

Apesar de já ter participado na nomeação das figuras JM 2023 para as diferentes áreas, considero ser importante destacar o trabalho desenvolvido pela ex-secretária regional da Inclusão e Assuntos Sociais, Dra. Rita Andrade e sua equipa, que até à tomada de posse do novo e atual governo regional, desenvolveu um trabalho excecional, diga-se, não apenas neste ano que agora termina, mas desde que assumiu funções em setembro de 2021 para o seu segundo mandato à frente dos destinos da Secretaria Regional de Inclusão, Cidadania e Assuntos Sociais.

Para 2024, existem um conjunto de áreas e metas na área da inclusão e cidadania que importará acompanhar, agora sob a alçada da sua sucessora, a nova secretária regional de Inclusão Social e Juventude, Dra. Ana Sousa. A fasquia é certamente alta, face ao trabalho desenvolvido até aqui nos últimos anos por Rubina Leal, Augusta Aguiar e mais recentemente Rita Andrade, mas creio que o percurso e experiência da ex-Diretora do Departamento de Inclusão da Pessoa com Deficiência, do Instituto de Segurança Social da Madeira, fala por si, dando esta garantias de um 2024 promissor na área da inclusão social e juventude.

Concluo assim este meu último artigo de 2023 fazendo votos de que 2024 seja centrado nas diferentes dimensões da pessoa humana e na promoção do desenvolvimento sustentável, tendo por base os 5 pilares dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – as pessoas, o planeta, a promoção da prosperidade de todos, a defesa da paz e a aposta nas parcerias para alcance destas mesmas metas.

Estou certo de que em 2024 a Madeira continuará a ser uma terra para todos e de todos, democrática e socialmente inclusiva, continuando o caminho desenvolvido até aqui. A aposta no turismo, na educação inclusiva, nas novas tecnologias, e na prática desportiva é para continuar. Um Feliz e Próspero 2024!

*Faculdade de Ciências Humanas, Universidade Católica Portuguesa

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Quem vai ganhar a Taça de Portugal?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas