MADEIRA Meteorologia

Artigo de Opinião

Nutricionista

31/07/2023 08:00

No que respeita ao "ser", vivemos de comparações e, desde tenra idade, na escola e em casa, cultiva-se a necessidade de sermos competitivos. Fazem-se jogos para termos um prémio se formos os melhores, corridas para chegarmos primeiro, trabalhos de casa que têm de ser os mais bonitos de todos (que na creche acabam por ser os pais a fazer porque os próprios querem o prémio criativo), desportos que apesar de recreativos exercem pressão para estarmos no pódio. E, na escola e no trabalho, também temos de ser os que têm mais e melhores resultados ou o número um de um quadro de honra.

Porque é que temos de viver nesta agonia dos paralelismos? Não existe a perfeição. Somos todos diferentes, todos funcionamos de forma diferente e os pontos fortes de uns podem ser os fracos de outros e vice-versa.

Parece que ninguém pode dar um passo sem haver uma confrontação e uma análise detalhada do que presta ou não presta! E é triste que entre familiares, pares e colegas, também se ultrapasse a barreira do respeito, apenas para ser-se o mais bonito, o mais rico, o mais bondoso ou o mais profissional ou o que tem a melhor cartola!

Sim, "ter" a melhor cartola! E porquê? Porque é que tenho de ter melhor que a tua? Porque é que o meu grupo é melhor que o teu, a minha mãe é melhor que a tua, o meu carro é melhor que o teu, a minha casa é melhor que a tua e o meu médico é melhor que o teu? O que define o que é melhor para mim ou para ti?

Porquê e para quê tanta necessidade de afirmação: X: "A minha nutricionista é a melhor do mundo porque,…"; Y: "Não, a minha é melhor que a tua, porque…" : Z: "Essas nutricionistas não têm resultados, venham mas é à minha que ela é ainda melhor, porque…". Pior ainda é quando os próprios colegas definem quem é melhor ou pior: "Realmente, eu sou melhor que a sua outra nutricionista…". E quem diz nutricionista, podia falar em qualquer outra profissão.

Tem de haver mais respeito, menos comparação e menos competitividade. Somos todos diferentes e tanta gente pode gostar de mim como de ti, tanta gente pode falar contigo ou comigo ou consultar-te a ti ou a mim. E não precisam de ser as mesmas pessoas! É verdade que não existe a perfeição e também não podemos agradar a gregos e troianos. Mas há gente e gostos para todos! Para quê tanta agonia e medo de sermos ultrapassados?

No que respeita, à imagem corporal, ainda é pior o lema "o meu é melhor que o teu". O meu corpo é melhor que o teu, o dela é melhor que o meu, a tua barriga é assim, a dela já é "assado": X: "- Aquela teve filhos e as mamas estão descaídas. As minhas estão bem melhores porque dei leite de fórmula. Deus me livre amamentar? Não quero estragar as mamas!"

Já agora, falando em amamentação, sabiam que a Semana Mundial do Aleitamento Materno é celebrada de 1 a 7 de agosto? Sabiam que as mulheres têm mamas para amamentar e não para inglês olhar? Grandes, pequenas, redondas, bicudas, todas diferentes, nada iguais e todas normais.

"A minha crónica é melhor que a tua"! - STOP - "A tua é melhor que a minha se eu quiser! Não há melhor que ou pior que! Há apenas o melhor de cada um!"

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Qual o seu grau de satisfação com a liberdade que o 25 de Abril trouxe para os madeirenses?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas