Ilha de São Jorge retoma em julho Semana Cultural das Velas

Lusa

Após um interregno de dois anos, devido à pandemia de covid-19, a Semana Cultural das Velas, em São Jorge, nos Açores, regressa em julho, com a organização a considerar que é tempo de dar “um sinal claro de retoma”.

A 33.ª Semana Cultural das Velas, cujo cartaz foi hoje apresentado, vai decorrer de 06 a 10 de julho, numa organização da Associação Cultural das Velas, em parceria com a Câmara Municipal.

“Este é precisamente o tempo, no nosso entender, de dar um sinal claro de retoma de pós-pandemia e de retoma também da crise sismovulcânica, e não pós, porque ela ainda está a decorrer”, sustentou o presidente da Câmara Municipal de Velas, Luís Silveira, em declarações aos jornalistas.

Questionado sobre a realização do evento, já que a crise sismovulcânica poderá ainda não ter passado na altura, o autarca disse que “a expectativa é grande”, antevendo que a Semana Cultural possa contar com a presença de muitos visitantes de outras ilhas vizinhas, já que há dois anos que não se realizam festivais de verão nos Açores, devido à pandemia.

“Depois destes dois anos de pandemia de covid-19, em que ela está a chegar a uma altura em que já nos permite a realização de eventos, tivemos este embate com esta crise sismovulcânica, mas isso não fará com que nós paremos no tempo”, sublinhou o autarca, lembrando que as autoridades sempre aconselharam a população “a manter as suas rotinas e as suas vidas com normalidade”, já que a crise sismovulcãnica poderia prolongar-se no tempo.

Luís Silveira garantiu ainda que há “robustez de meios” e “um planeamento” para socorrer a população “em caso de catástrofe natural”.

Ainda de acordo com o presidente da Câmara Municipal de Velas, o município já está, em parceira com a Associação Cultural, a preparar uma agenda que possa levar “dinâmica ao concelho, sobretudo no verão”.

O presidente da Associação Cultural das Velas, Mário Soares, corroborou autarca, salientando que, apesar de a ilha continuar “numa situação de vigilância” por causa da crise sismovulcânica, que se regista desde 19 de março, as expectativas para o evento são grandes.

“Queremos crer que vai correr bem e que tudo se conjugará para que as coisas sejam feitas como em anos anteriores”, afirmou Mário Soares, na conferência de imprensa, indicando que o orçamento da Semana Cultural de Velas ronda os valores de anos anteriores, “entre os 100 a 110 mil euros”.

A edição deste ano tem como tema “A Pesca”, contando o evento com um vasto programa e com mais um dia do que as últimas edições.

“De ano para ano o festival tem evoluído”, realçou o presidente da Associação Cultural.

Fernando Daniel, Blaya, Dillaz, Syro, Augusto Canário, One Vison (tributo aos Queen) e o grupo jorgense Tributo, são os destaques da edição deste ano da Semana Cultural, sendo este “o primeiro grande festival de verão do triângulo [ilhas de São Jorge, Pico e Faial]”, disse.

Além dos concertos musicais, a Semana Cultural de Velas terá ainda provas náuticas, atividades lúdicas e desportivas.

Exposições, animação infantil, atuações de bandas filarmónicas e de grupos folclóricos e um desfile de marchas populares são outros destaques do evento, a par da realização da tradicional Tourada à Corda.

Existirá ainda o ‘Quiosque do Triângulo’, com produtos de São Jorge, do Pico e do Faial.