Lituânia alvo de ciberataques atribuídos a 'hackers' russos

LUSA

A Lituânia foi hoje alvo de ciberataques contra ‘sites’ governamentais, incluindo o do Ministério dos Negócios Estrangeiros, e privados, que a imprensa disse terem sido reivindicados por piratas informáticos (‘hackers’) russos.

Os ataques ocorreram num contexto de ameaças feitas pela Rússia contra o país báltico que impôs restrições ao trânsito ferroviário de certas mercadorias para o enclave russo de Kaliningrado.

O responsável do centro nacional de cibersegurança da Lituânia, Jonas Skardinskas, disse ao portal de notícias Delfi que os ataques "provavelmente" vieram da Rússia e que a ofensiva deverá continuar nos próximos dias e afetar especialmente os setores dos transportes, energia e finanças.

De acordo com a imprensa local, o grupo de ‘hackers’ russo Killnet realizou os ataques de DDOS (Distributed Denial of Service, uma tentativa de interromper um servidor, uma rede ou um serviço sobrecarregando o alvo) contra um vasto leque de instituições públicas, incluindo o serviço de tesouraria, o departamento de migração e a autoridade aeroportuária lituana.

As agências de cibersegurança dos países bálticos – Lituânia, Letónia e Estónia – reportaram um aumento da atividade hostil no ciberespaço desde que a Rússia invadiu a Ucrânia a 24 de fevereiro.