MADEIRA Meteorologia

“Há falta de habitação a custos comportáveis para a maioria dos portugueses”, defende Alternativa 21

Data de publicação
22 Fevereiro 2024
12:57

“Há falta de habitação a custos comportáveis para a maioria dos portugueses. Muitos defendem a solução de cooperativas, mas estas trazem riscos de má gestão e gestão danosa, situação que ocorreu no passado”, defende o cabeça-de- lista da Alternativa 21 pelo círculo da Madeira, Miguel Silva.

Outros, conforme aponta, defendem a habitação a custos controlados, mas esta também tem “preços proibitivos”.

Nesse sentido, a Alternativa 21 defende o papel moderador do Estado na economia, impedindo a especulação. “Assim, esta coligação defende que o Estado deve ter uma empresa de construção civil e uma imobiliária para construir habitações a preços comportáveis”, sustenta.

A Alternativa 21 estima que o lucro sem impostos para a construção de apartamentos na Região Autónoma da Madeira é “de 50 a 100 mil euros por apartamento, pelo que o Estado poderia construir apartamentos com lucro razoável e mais baratos que os dos executados por particulares, regulando assim os preços”, defende.

“Obviamente, continuará a ser preciso aumentar as remunerações dos trabalhadores, e para isso a Alternativa 21 mantém as propostas de desoneração das famílias, nomeadamente transportes públicos gratuitos e refeições gratuitas para estudantes, assim como a baixa de impostos, incluindo a devolução de 5% do IVA pago pelos cidadãos desde que peçam as faturas com contribuinte”, remata.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Concorda com a mudança regular da hora duas vezes por ano?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas