PAN alerta para o despovoamento do Norte da ilha

Iolanda Chaves

"O norte da Madeira está despovoado e as pessoas que restam agora são essencialmente idosos", afirmou o cabeça de lista do PAN, em declarações após uma ação de campanha centrada na questão do envelhecimento demográfico, que o levou a fazer um périplo pleo Porto Moniz, Ribeira da Janela, Seixal, São Vicente, São Jorge, Santana, Faial e Porto da Cruz,

Fazendo um relato do que viu e ouviu, Joaquim José Sousa disse que muitos dos idosos "se veem obrigados a continuar a trabalhar a terra para desta tirarem algum sustento porque a reforma é curta".

Em São Jorge, diz ter visitado uma moradia, onde os proprietários disseram que no inverno "passam frio", mas que "no passado era pior".

"No Seixal falamos com um grupo de jovens que nos disseram que provavelmente iriam imigrar 'a Madeira é bonita, mas aqui não há futuro' e este é um grande problema, na última década a Madeira foi a região do país que mais envelheceu. Não tivessem regressado os Luso-descendentes da Venezuela e a desgraça seria maior", afirma o candidato.

Referindo dados publicados pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, "que colocam a Madeira como a região com a maior Taxa de Risco de Pobreza do país", o professor defende que "o PSD-M/ CDS deviam mudar o lema de 'Madeira Primeiro' para 'Madeira em último', o grande legado de Miguel Albuquerque à frente da Região".

"A Madeira tem cerca de 83000 madeirenses pobres, e tem de aproveitar o PRR para mudar o Modelo de Desenvolvimento assente no Betão em todo o lado e no dinheiro que vem de fora para um modelo de desenvolvimento assente no conhecimento, no mar, na agricultura biológica de qualidade. No investimento que crie postos de trabalho qualificados e no turismo científico e sustentável", defende.

Na perspetiva do PAN, "só assim poderá ser quebrado o ciclo da pobreza,que empurra os jovens para a imigração ou que impede os jovens que ficam de sair de casa dos pais, de ter a sua própria casa, de constituir família e de ter filhos".

"O cartão do PSD ou do PS não é claramente sinônimo de mérito, nem pode ser Curriculo Vitae de ninguém. Nestas eleições, só o PAN – partido das pessoas, representa esperança dum futuro digno para todos os portugueses", conclui.