MADEIRA Meteorologia

IL diz que PSD, PS e CDS prometem “mundos e fundos”

Data de publicação
18 Maio 2024
15:36

O cabeça de lista da Iniciativa Liberal (IL) às eleições regionais da Madeira, Nuno Morna, defendeu hoje que o partido apresenta propostas exequíveis, ao contrário do PSD, PS e CDS-PP, que acusou de prometerem “mundos e fundos”.

A IL realizou hoje de manhã um passeio pela baixa de Câmara de Lobos, concelho contíguo ao do Funchal a oeste, onde entregou panfletos e canetas a populares e comerciantes.

Logo no início do périplo, Nuno Morna entrou num café, deparando-se com o cabeça de lista do CDS-PP, José Manuel Rodrigues, que desejou uma “boa campanha” aos liberais.

O coordenador da IL/Madeira, eleito deputado nas regionais de setembro do ano passado, foi entregando panfletos a quem encontrava e trocando curtas palavras como “tudo de bom” ou “bom fim de semana”.

À entrada do Mercado Municipal de Câmara de Lobos, um popular disse que “os partidos são todos iguais”, ao que a comitiva respondeu que “não são” e seguiu o seu caminho.

Um dos membros da comitiva levava um cartaz com as palavras “Sabes quem é a única pessoa que pode mudar a Madeira?”, tendo na parte de trás um espelho, para demonstrar às pessoas que são elas próprias que o podem fazer, através do voto.

Em declarações à agência Lusa, o cabeça de lista da IL quis fazer um balanço da primeira semana de campanha eleitoral, considerando que o partido tem feito campanha “pela positiva”, ao apresentar “propostas, que não são muitas, são poucas, mas exequíveis”.

“Fazemos as nossas propostas, os madeirenses têm de perceber que isto não pode continuar com o prometer mundos e fundos, que depois não são exequíveis”, declarou Nuno Morna, referindo-se ao PSD, ao PS e ao CDS-PP.

“Devem ter encontrado ouro em algum lado, devem ter encontrado uma riqueza qualquer que toda a gente desconhece, que faz com que se possa prometer mundos e fundos, dizer que tudo é gratuito, tudo é dado, que os subsídios vêm aí a torto e a direito e isso é tudo mentira”, reforçou.

Referindo que a Madeira não é “uma terra de riqueza” e que vive “essencialmente do turismo”, Nuno Morna defendeu que é necessário criar outras formas de fazer com que a economia cresça e lembrou as suas propostas de expansão do Centro Internacional de Negócios e de criação de um sistema fiscal próprio.

“Não podemos é viver nesta monocultura do turismo, porque agora estamos bem, mas de hoje para amanhã pode acontecer algum fator que prejudique a vinda dos turistas para a Madeira e nós, porque só vivemos disso, ficamos mal, como foi por exemplo na pandemia”, sustentou.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Considera que o novo governo vai cumprir o mandato?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas