MADEIRA Meteorologia

TAP: Chega propõe chamar António Costa ao parlamento

Data de publicação
18 Junho 2024
17:02

O Chega vai propor a audição na Assembleia da República do ex-primeiro-ministro António Costa para dar explicações aos deputados na sequência de notícias de que terá dado indicação para o despedimento da ex-CEO da TAP.

O anúncio foi feito pelo líder do partido, André Ventura, numa declaração aos jornalistas no parlamento, referindo que o requerimento já foi entregue na comissão de Economia, Obras Públicas e Habitação.

O Chega quer “chamar com urgência” António Costa ao parlamento “para explicar qual foi o seu papel neste despedimento, quais foram os reais motivos e interesses por detrás deste despedimento e se é verdade, conforme as conversas indiciam e as escutas hoje reveladas demonstram, que houve motivações absolutamente políticas de cálculo e tática eleitoral na forma como foi despedida a antiga CEO da TAP”.

O presidente do Chega indicou também que quer confrontar o ex-chefe de Governo “com o que disse na altura, enquanto primeiro-ministro, e que não bate certo com estas declarações”.

André Ventura disse que o partido vai pedir igualmente o levantamento de “declarações feitas na comissão de inquérito da TAP, para enviar para o Ministério Público tudo o que configurar o crime de falsas declarações e de mentiras ditas ao parlamento, quer pelo Partido Socialista, quer por antigos membros da TAP, quer especialmente por antigos membros do Governo”.

A CNN Portugal divulgou hoje uma escuta da operação Influencer, de 05 de março do ano passado, na qual António Costa terá dito ao ex-ministro João Galamba que Christine Ourmières-Widener teria de sair da liderança da TAP por razões políticas, por forma a conter eventuais danos para o Governo.

O líder do Chega afirmou que “os elementos de conversação que ficaram disponíveis hoje mostram uma coisa para lá de toda a evidência, que o despedimento da antiga CEO da TAP teve motivações políticas e não, ao contrário do que disseram os então membros do Governo Fernando Medina e João Galamba, motivações técnicas sustentadas nos relatórios e sobretudo sustentada na auditoria”.

“Isto significa que o Governo mentiu aos portugueses, significa que o então primeiro-ministro mentiu aos portugueses e que o que fez foi criar um artifício que levasse a um despedimento rápido da antiga CEO da TAP para se livrar daquilo que ele chamou o inferno político de então”, acusou.

Ventura sustentou também que estas iniciativas “nada têm a ver com o momento político, nem com o momento político nacional ou de António Costa”, numa altura em que é um nome apontado ao Conselho Europeu.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Quem vence o Campeonato Europeu de Futebol?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas