MADEIRA Meteorologia

Eleições presidenciais russas serão repartidas por três dias em março de 2024

Data de publicação
08 Dezembro 2023
11:46

A Comissão Eleitoral russa anunciou hoje que as próximas eleições presidenciais serão repartidas por três dias, de 15 a 17 de março de 2024, uma medida recente que, segundo os críticos do Kremlin, aumenta o risco de fraude eleitoral.

O Presidente Vladimir Putin, líder incontestado da Rússia há quase um quarto de século, ainda não entrou oficialmente na corrida, mas o anúncio da sua candidatura parece ser apenas uma formalidade.

E nenhum rival parece estar em posição de o impedir, uma vez que quase todos os seus principais opositores foram presos ou forçados ao exílio.

A Comissão Eleitoral “aprovou um período de votação de três dias para a eleição presidencial russa” na primeira volta, que deverá ter lugar de 15 a 17 de março, segundo um comunicado.

Os observadores e os opositores afirmam que as eleições na Rússia estão a ser marcadas por graves irregularidades e que os candidatos independentes não têm qualquer hipótese.

A votação ao longo de vários dias foi apresentada pelas autoridades como uma forma de reduzir o risco de contágio durante a pandemia de covid-19, um procedimento que entretanto foi mantido em várias eleições nacionais e regionais.

Principalmente a oposição considera que a metodologia facilita a manipulação dos boletins de voto, uma vez que estes não são imediatamente contados no dia da votação e são armazenados durante três dias.

Resultado da adoção de uma reforma constitucional controversa no auge da pandemia em 2020, Vladimir Putin, que chegou ao poder em 2000, pode permanecer no Kremlin até 2036.

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, afirmou em meados de novembro que “o momento do anúncio” da candidatura de Vladimir Putin estava a aproximar-se, acreditando que este não teria nenhum rival credível.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

O que se segue à demissão de Miguel Albuquerque?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas