Óbito/João Cutileiro: Corpo do escultor cremado em Elvas na quinta-feira

Lusa

O corpo do escultor João Cutileiro, que morreu na terça-feira, aos 83 anos, vai ser cremado na quinta-feira no Complexo Funerário de Elvas (Portalegre), revelou hoje a diretora regional de Cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira.

A mesma responsável disse à agência Lusa que a cerimónia de cremação vai decorrer às 12:00 de quinta-feira, no complexo daquela cidade alentejana.

O velório do artista decorre hoje, a partir das 13:00, na Igreja do Salvador, em Évora.

João Cutileiro (1937-2021), que estava internado num hospital de Lisboa com graves problemas respiratórios, morreu na terça-feira, aos 83 anos.

A Câmara de Évora decretou três dias de luto municipal pela morte do escultor, a serem cumpridos hoje e na quinta e sexta-feira.

“O nome de João Cutileiro ficará para sempre associado a Évora, cidade que elegeu como sua e onde deixa marcas profundas. O seu falecimento representa uma enorme perda para o mundo das artes, para o país e para a cidade de Évora”, indicou a autarquia, em comunicado.

Nascido em Lisboa, o artista mudou-se em 1985 para Évora, onde se fixou e onde deixou exposta, na sua própria casa, boa parte de uma obra multifacetada, em que também trabalhou materiais como o cimento fundido, o bronze, o ferro soldado, o gesso, além do mármore, muitas vezes corroído com ácido.

Nesta cidade alentejana, em 1981, já tinha promovido, com o Ar.Co - Centro de Arte e Comunicação Visual, o I Simpósio Internacional de Escultura em Pedra, reunindo um grupo de escultores.

Frequentou os ateliês de António Pedro, Jorge Barradas e António Duarte, de 1946 a 1950, tendo feito a sua primeira exposição individual (“Tentativas Plásticas”) em 1951, com 14 anos, em Reguengos de Monsaraz, onde apresentou esculturas, pinturas, aguarelas e cerâmicas.

Cutileiro foi condecorado com a Ordem de Sant’Iago da Espada, Grau de Oficial, em agosto de 1983, e recebeu os doutoramentos Honoris Causa pela Universidade de Évora e pela Universidade Nova de Lisboa, em 2013 e 2017, respetivamente.

Em dezembro de 2018, João Cutileiro recebeu a Medalha de Mérito Cultural, numa cerimónia no Museu de Évora.

Na ocasião, foi formalizado o anterior compromisso de doação do espólio do escultor ao Estado português, em 2016, e assinado um protocolo para a gestão do acervo que envolveu o Ministério da Cultura, o município e a Universidade de Évora.

O escultor é autor do Monumento ao 25 de Abril, instalado no Parque Eduardo VII, em Lisboa, entre outras obras.