MADEIRA Meteorologia

Três concelhos de Faro em perigo máximo de incêndio

JM-Madeira

JM-Madeira

Data de publicação
23 Junho 2023
9:14

Os concelhos de Loulé, São Brás de Alportel e Tavira, no distrito de Faro, apresentam hoje perigo máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que prevê a partir de hoje uma subida da temperatura.

Os concelhos de Lagos, Portimão, Monchique, Silves, Alcoutim e Castro Marim (Faro), Almodóvar (Beja), Gavião (Portalegre), Mação (Santarém), Vila Velha de Ródão, Proença-a-Nova e Fundão (Castelo Branco) apresentam hoje perigo muito elevado de incêndio.

O IPMA colocou ainda cerca de 40 concelhos de Bragança, Castelo Branco, Portalegre, Santarém, Lisboa, Évora, Beja e Faro em perigo elevado de incêndio rural.

Segundo o IPMA, o perigo de incêndio vai agravar-se devido à previsão de tempo quente a partir de hoje e pelo menos até terça-feira.

O perigo de incêndio, determinado pelo IPMA, tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo e os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para os próximos dias continuação de tempo quente e seco nas regiões norte e centro destacando-se valores da temperatura máxima na ordem dos 40 graus Celsius, no interior da região sul e na parte interior do Vale do Tejo, sendo no restante território acima dos 30 graus.

Por causa da previsão do IPMA, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) alertou para o elevado risco de incêndios em todo o território continental.

A ANEPC alerta para o aumento do número de ocorrências de incêndios rurais e da dificuldade das ações de supressão, especialmente no sul e no interior centro e norte.

Como medidas preventivas, a ANEPC recorda que, de acordo com a lei, é proibido fazer queimada extensiva ou de aglomerado sem autorização das autarquias locais.

Nos dias de risco de incêndio muito elevado e máximo é também proibido utilizar fogo para a confeção de alimentos em todo o espaço rural, salvo se usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados para o efeito, bem como fumigar ou desinfestar em apiários, exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas, e usar motorroçadoras, corta-matos e destroçadores.

Desde o início do ano, as 3.629 ocorrências de fogo já afetaram 8.629 hectares de espaços rurais.

Lusa

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Quem acha que vai governar a Região após as eleições de 26 de maio?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas