MADEIRA Meteorologia

ONU afirma que a fome já se estendeu a toda a Faixa de Gaza

Data de publicação
09 Julho 2024
14:30

Um grupo de relatores das Nações Unidas afirmou hoje que a morte por inanição de várias crianças palestinianas na Faixa de Gaza nos últimos dias “não deixa dúvidas” de que a fome se alastrou a todo o enclave.

A fome, salientam, é consequência da ofensiva desencadeada por Israel após os ataques perpetrados a 07 de outubro de 2023 pelo Movimento de Resistência Islâmica (Hamas) e outras fações palestinianas em território israelita, que causaram 1.200 mortos e levou ao sequestrou de cera de 240 pessoas.

Os peritos indicaram que um bebé de seis meses morreu a 30 de maio, enquanto um rapaz de 13 anos morreu a 01 de junho e um outro de nove a 03 de junho.

“As três crianças morreram devido à subnutrição e à falta de acesso a cuidados de saúde adequados”, afirmaram.

“Com estas crianças a morrerem de fome, apesar dos cuidados médicos prestados no centro de Gaza, não há dúvida de que a fome se propagou do norte de Gaza para o centro e sul da Faixa de Gaza”, afirmaram, antes de sublinharem que as instalações médicas foram gravemente afetadas pela ofensiva de Israel.

“Quando a primeira criança morre de subnutrição e desidratação, é irrefutável que a fome se instalou”, afirmaram, denunciando que “a campanha deliberada e orientada de Israel de fome contra o povo palestiniano é uma forma de violência genocida e causou fome em toda a Faixa de Gaza”.

Por outro lado, os especialistas da ONU apelaram à comunidade internacional para que dê prioridade à entrega de ajuda humanitária por terra, por todos os meios necessários, “para pôr fim ao cerco de Israel e estabelecer um cessar-fogo”.

“O mundo deveria ter feito uma intervenção mais cedo para impedir a campanha genocida de fome de Israel e evitar estas mortes”, acrescentam.

“Quando um bebé de dois meses e Yazan al Kafarne, de 10 anos, morreram de fome a 24 de fevereiro e a 04 de março, respetivamente, confirmou-se que a fome tinha atingido o norte de Gaza”, afirmaram, antes de acrescentarem que 34 palestinianos tinham morrido de fome desde 07 de outubro, “a maior parte deles crianças”.

“A inação é cumplicidade”, acrescentam.

O exército israelita desencadeou uma ofensiva contra a Faixa de Gaza após os ataques de 7 de outubro que, segundo as autoridades de Gaza, liderada pelo Hamas, provocaram mais de 38.200 mortos, além de mais de 560 palestinianos mortos na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental em operações das forças israelitas ou em ataques de colonos.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Há condições para o Orçamento da Região ser aprovado esta semana?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas