MADEIRA Meteorologia

NATO: Stoltenberg diz que Aliança fica mais forte após adesão da Suécia

Data de publicação
26 Fevereiro 2024
17:24

O secretário-geral da NATO afirmou hoje que a Suécia tornará a Aliança Atlântica “mais forte e segura”, depois de o parlamento do último país aliado a ratificar a adesão, a Hungria, ter concluído o processo.

“Congratulo-me com o voto do Parlamento húngaro para ratificar a adesão da Suécia à NATO. Agora que todos os Aliados a aprovaram, a Suécia tornar-se-á o 32º Aliado da NATO. A adesão da Suécia tornar-nos-á a todos mais fortes e mais seguros”, escreveu Jens Stoltenberg na conta pessoal na rede social X (ex-Twitter).

O parlamento húngaro ratificou hoje a adesão da Suécia à Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), o passo final necessário para o país nórdico que deseja aderir à Aliança Atlântica desde a invasão russa da Ucrânia.

A candidatura de Estocolmo foi aprovada por uma esmagadora maioria de deputados (188 votos em 199 lugares).

Também na rede social X, o primeiro-ministro sueco, Ulf Kristersson, afirmou já que a Suécia está “pronta para assumir as suas responsabilidades” na NATO, considerando a adesão de Estocolmo à Aliança Atlântica como “histórica”.

“Hoje é um dia histórico. A Suécia está pronta para assumir as suas responsabilidades na segurança euro-atlântica”, escreveu o chefe do executivo sueco.

Após a recente aprovação da Turquia, no final de janeiro, só faltava a Hungria dar o seu parecer oficial à adesão da Suécia.

Tanto a Finlândia como a Suécia solicitaram conjuntamente a adesão à Aliança no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, em fevereiro de 2022.

A Finlândia tornou-se membro de pleno direito da NATO a 04 de abril do ano passado - o que mais do que duplicou a fronteira da Aliança com a Rússia -, mas a Turquia e a Hungria mantiveram o seu veto em relação à Suécia.

Ancara, que tinha acordado compromissos de segurança com Helsínquia e Estocolmo, ainda tinha dúvidas sobre o envolvimento sueco na luta contra o alegado terrorismo curdo.

Agora que se chegou a um consenso entre todos os países para que a Suécia se torne membro de pleno direito da Aliança e beneficie de defesa coletiva em caso de ataque, há ainda algumas etapas administrativas a cumprir.

A Suécia deve depositar o chamado protocolo de adesão junto dos Estados Unidos, que ficará à guarda do Departamento de Estado norte-americano em Washington.

Como final simbólico, a bandeira da Suécia será hasteada numa cerimónia na sede da NATO, em Bruxelas, juntamente com as dos outros 31 aliados.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Concorda com a mudança regular da hora duas vezes por ano?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas