Râguebi: Belenenses vence Direito e sagra-se campeão nacional

LUSA

O Belenenses voltou hoje a erguer o troféu de campeão nacional de râguebi, quatro anos depois da última conquista, ao bater o Direito por 31-8, numa final realizada no Complexo Municipal de Atletismo de Setúbal.

Mais eficaz nos momentos cruciais do jogo, a equipa do Restelo, que ao intervalo vencia por 12-8, soube resistir à pressão dos ‘advogados’ que tiveram o ascendente e estiveram mais tempo instalados junto à zona de finalização nos 80 minutos da partida.

O jogador do Belenenses Francisco Menéres, que apontou quatro penalidades na segunda parte – período em que o Direito não fez qualquer ponto – que resultaram em 12 pontos, foi a figura de um encontro em que já tinha feito uma conversão no primeiro tempo.

Os adeptos que lotaram a bancada assistiram a uma entrada forte do GD Direito, que à passagem dos quatro minutos colocou-se na frente do marcador (0-3) através de uma penalidade convertida por Jerónimo Portela.

Apesar do ascendente e de passarem quase toda a primeira parte instalados junto à zona defensiva do Belenenses, os ‘advogados’ depararam-se com um adversário muito coeso, que conseguiu evitar que o oponente avolumasse a vantagem.

Os ‘azuis’ aproveitaram o adiantamento do Direito para surpreenderem na primeira vez que se acercaram da zona de finalização. David Wallis, aos 19 minutos, fez um ensaio que permitiu ao Belenenses passar para a frente do marcador (5-3).

Mais uma vez contra a ‘corrente’ do jogo o Belenenses surpreendeu o oponente num ensaio de Rodrigo Marta que, aos 38 minutos, pôs o placar em 10-3. Volvido um minuto, foi a vez de Francisco Menéres inscrever o seu nome na lista de marcadores ao ampliar, numa conversão, para 12-3 a vantagem do Belenenses.

Já em tempo de compensação, aos 40+2, foi a vez do Direito encurtar a distância no marcador por intermédio de um ensaio de Francisco Rosa, que conseguiu escapar a vários adversários, colocando o marcador em 12-8, resultado com que se atingiu o intervalo.

No segundo tempo, o Direito procurou inverter o resultado, mas as suas tentativas saíram goradas num período em que o Belenenses soube aproveitar os erros do adversário. Francisco Menéres foi o homem em destaque ao apontar quatro penalidades (44, 60, 74 e 76 minutos) que colocaram o marcador em confortáveis 24-8, aos 76 minutos.

Já sem capacidade de reação, o Direito viu o Belenenses avolumar o marcador num ensaio de Duarte Azevedo (80 minutos) e uma conversão do incontornável Francisco Menéres, que, aos 80+1, fechou as contas do jogo em 31-8, que deu o oitavo cetro de campeão ao emblema do Restelo.