Faleceu a catequista Maria Ivone, figura incansável na partilha da palavra de Jesus

A Catequista Maria Ivone, 75 anos de idade, faleceu nesta terça-feira, 6 de abril, da oitava da Páscoa, vitima de doença prolongada. Catequista durante mais de 50 anos, dedicou a vida a ser “testemunha da fé”, junto de centenas de jovens da Diocese do Funchal.

Em entrevista ao Jornal, em dezembro do ano passado, Maria Ivone assumiu que não se cansava “de falar de Jesus, porque é Ele que enche toda a minha vida”.

Recordou ainda o seu percurso junto das várias comunidades paroquiais, na paróquia do Coração de Jesus, onde foi catequista mais de 40 anos. Nesse mesmo período acumulou funções na paróquia do Caniço, Apresentação de Maria e São Pedro, mas o seu primeiro grupo foi na sua paróquia natal, Fátima, em 1961.

Nessa tarde de dezembro, ao longo de toda a conversa, demonstrou ser uma mulher de grande fé e que nunca deixava de ser catequista, afirmando que o catequista não para de catequizar, assumindo que por onde passava quer fosse no hospital onde ia fazer os tratamentos à doença que a vitimou e até mesmo com os médicos. “Procuro falar daquilo que o meu coração está cheio, falar de Jesus Cristo” do quão é extraordinário e que veio à Terra “para nos ensinar a sermos irmãos uns dos outros, a trazer a paz, a trazer a felicidade, porque fora de Jesus não há felicidade plena, verdadeira. Ele veio trazer a salvação”.

É desta maneira que, certamente, ficará na memória de todos aqueles com quem privou e a quem deixou marcas indeléveis de fé e incentivo.

O JM endereça sentidas condolências a toda a família e amigos neste difícil momento.