Subsídio de insularidade dá briga no Porto Santo

Carla Sousa

Governo Regional e sindicatos não se entendem relativamente ao montante do subsídio de insularidade para os funcionários públicos no Porto Santo. Ao JM, os sindicatos reclamam a reposição do pagamento da percentagem de 30% do salário para toda a Função Pública e já há, inclusive, uma ação no tribunal subscrita por mais de 30 docentes. A Direção Regional da Administração Pública sublinha que o pagamento progressivo entre os 20 e os 30% está de acordo com o legislado.

Esta é a notícia que faz a manchete de hoje do seu JM, numa Primeira Página cujo destaque fotográfico vai para o Café Relógio: Insolvência travada por prejudicar trabalhadores. Tribunal Judicial chumbou sexta-feira o Plano de Insolvência dos atuais donos do Café Relógio.

Saiba ainda que 100 professores e 800 alunos vão ‘Plantar o Futuro’ e que dificuldades de alunos são-tomenses geram imbróglio entre autarquia de Santana e a UMa.

Não perca Jornadas Madeira 2023. Novos rumos para a economia madeirense. O turismo continua a ser o motor da Região, mas há outros setores a despontar. Hoje, a partir das 10h00, na Escola Básica e Secundária Padre Manuel Álvares, na Ribeira Brava, o JM procura novos rumos para a economia madeirense.