Número de mulheres toxicodependentes apoiadas pela Saúde duplicou na Região

Iolanda Chaves

Houve, em 2021, uma duplicação do número de consumidores do sexo feminino atendidos pela Comissão para a Dissuasão da Toxicodependência da Região Autónoma da Madeira (CDT-RAM), comparativamente a 2020, ano que marcou o início da pandemia.

Esta é uma conclusão do relatório anual desta entidade tutelada pela Secretaria Regional de Saúde e Proteção Civil, que destaca o facto de "cerca de metade dos consumidores de drogas" ter aceitado ser apoiado quer no âmbito de acompanhamento psicológico assegurado nos Centros de Saúde da Região Autónoma da Madeira, quer no âmbito de tratamento intensivo levado a cabo no Serviço de Psiquiatria do SESARAM.

"Para estes resultados em muito contribuiu as diligências de motivação levadas a cabo pela Comissão", sublinha o relatório.

Quanto às substâncias prevalentes, e à semelhança de anos anteriores, a mesma fonte conclui que "a droga de abuso principal são os canabinóides (Haxixe e Liamba)".

Relativamente aos processos de contraordenação processados nas CDT, estes "têm origem em Autos de Notícia das entidades autuantes, sejam elas a Polícia de Segurança Pública, a Guarda Nacional Republicana, os Serviços de Alfândega, assim como em Comunicações do Ministério Público e dos Tribunais".

A atuação da CDT-RAM conta com a colaboração de vários serviços e entidades dos quais se destaca os Centros de Saúde, Serviço de Psiquiatria do SESARAM, EPERAM, vocacionado para o tratamento das dependências, entidades autuantes (PSP, GNR, Alfândega), Polícia Judiciária, Ministério Público, CPCJ's, UCAD, Câmaras Municipais, Juntas de Freguesia, Estabelecimento Prisional do Funchal, Equipa da Madeira da Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, SICAD, entre outras entidades, as quais, no âmbito das suas atribuições e competências, contribuem para que o papel da CDT-RAM se desenrole de forma cada vez mais proativa.

A apresentação dos resultados de 2021, foi efetuada pelos elementos da CDT-RAM, os quais formam uma equipa multidisciplinar, composta por Teresa Fernandes, Socióloga (Presidente); Rubina Gouveia, Jurista (Vogal); Cecília Viveiros, Jurista (Vogal); Ana Vieira, Psicóloga (Vogal) e Mónica Caldeira, Técnica Superior de Serviço Social (Vogal), e contou com a presença do secretário regional de Saúde e Proteção Civil, Pedro Ramos.