MADEIRA Meteorologia

JPP acusa Segurança Social de "empurrar idosos para a pobreza"

JM-Madeira

JM-Madeira

Data de publicação
22 Junho 2023
14:33

O Juntos Pelo Povo (JPP) promoveu esta quinta-feira uma ação junto ao centro de Segurança Social de Santa Cruz onde criticou as reformas baixas e defendeu a desburocratização do processo de atribuição do complemento regional para idosos.


Leia na íntegra a nota de imprensa do JPP:

"Ainda há poucos dias houve informação sobre novos reformados na Região onde se verifica que há pessoas que passarão a receber pouco mais de trezentos euros", referiu Lina Pereira, porta-voz da iniciativa que decorreu esta manhã, em frente ao centro local de Segurança Social de Santa Cruz.

"Sabemos que este é um problema gerado a nível nacional pois as reformas são definidas por decreto da República, e inclui-se vários elementos para o cálculo da reforma como o número de anos de desconto e o vencimento que a pessoa auferia", esclareceu.

"Mas não podemos esquecer que esta situação é alimentada pelo próprio Governo Regional da Madeira quando obriga estes idosos com baixas pensões a procedimentos burocráticos para ter acesso ao Complemento Regional para Idosos (CRI), medida criada na Madeira após muita insistência da oposição e vários chumbos da maioria parlamentar que suporta o Governo", destacou.

Para Lina Pereira é inadmissível que os idosos, ao entrar na reforma, sejam já empurrados para contextos de vulnerabilidade e até pobreza: "como é que com trezentos euros uma pessoa consegue pagar despesas do dia-a-dia como a luz, o supermercado e a farmácia?" questionou.

A porta-voz reforçou que, pela própria realidade dos idosos, "as necessidades na saúde aumentam e o Serviço Regional de Saúde, sem capacidade de resposta, obriga estes utentes a pagar no privado por consultas, exames e cirurgias. Mais uma vez, como é que, com estes valores de reforma, os idosos conseguem viver?", indagou.

Lina Pereira reforçou a necessidade de desburocratizar o processo de atribuição do complemento regional para idosos, tornando-o automático, através de cruzamento de informação entre as entidades. "E se assim não for possível, a Secretaria Regional da Inclusão deve criar equipas que vão ao encontro destes idosos, informem e ajudem na instrução do processo", reforçou.

"Este é um assunto que o JPP já abordou e pelo qual tem vindo a lutar: não podemos obrigar idosos que vivem isolados, com dificuldades de locomoção, sem transporte, a ter de sair de casa, dirigir-se aos serviços da segurança social para usufruir de um Direito", destacou.

Para o JPP, o Governo Regional da Madeira continua a fazer propaganda enganosa quanto aos idosos "e a prova está no pagamento de pouco mais de 704 mil euros de complemento aos idosos quando estava orçamentado 4 milhões. Mais de 3 milhões de euros ficaram guardados nos cofres do Governo quando deveriam ter sido distribuídos pelos idosos de baixos rendimentos e a Segurança Social sabe perfeitamente quem são", concluiu."

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Quem vai ganhar a Taça de Portugal?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas