MADEIRA Meteorologia

Artigo de Opinião

Médico-Dentista

10/09/2023 08:00

O PSD parece preocupado com a legalidade da ida a votos de uma lista "concorrente". O JPP, já depois de despachar o fundador, insiste na necessidade de um ferry. O PS de cá promete baixar impostos, quando o de lá insiste em manter uma das cargas mais pesadas de que há memória. Mais, António Costa diz que "é difícil ser socialista na Madeira". Isso eu não sei. Não sofro disso. Mas madeirense já começa a ser, sim senhor. Já o PTP está preocupado com o facto de as gerações vindouras poderem vir a não saber o que é um bodião. Enfim… No meio disto tudo o que ainda vale é que trouxerem artistas de nomeada para nos darem música como deve ser… É que a deles já começa a enjoar!

O que parece não enjoar é o álcool. Pelo menos foi o que entendi no 145.º aniversário do Comando da Polícia de Segurança Pública (PSP) da Madeira. Não, não sei se teve direito a comes e bebes. Não estou a referir-me a isso. Escrevo antes sobre as palavras do seu comandante. Luís Simões defendeu que a sociedade "tem de refletir" sobre o "abuso do álcool". Concordo! Não sei se começamos a ter festas a mais ou juízo a menos, mas o certo é que, hoje em dia, bebe-se como se não houvesse amanhã. E os números não mentem… E o comandante muito menos: "em cada 100 condutores fiscalizados, 10 (dados de 2022) ou 11 (dados do primeiro semestre de 2023), estão a conduzir com taxas de álcool no sangue superior ao limite legal permitido [0,5g/l]". Das duas uma! Ou deixam de fiscalizar, ou então mais vale alterar o limite. Continuar assim é que não. Mais dia menos dia "apanham" 100 em 10!

Na verdade, no continente já é assim… Não sei no álcool, mas na velocidade não escapa nenhum! Se antigamente os radares eram fixos e não demoravam muito a serem descobertos, agora inventaram os radares de velocidade média. Bem, inventaram como quem diz… Em França já funcionaram e foram, entretanto, desativados. Mas, como é hábito, mesmo quando os outros abandonam algumas práticas, nós implementamo-las. A intenção, segundo os entendidos, é reduzir o número de mortes na estrada. Para mim é aumentar os lucros! "Em apenas 24 horas foram apanhados seis mil condutores em excesso de velocidade. Estado embolsa pelo menos 360 mil euros". Bingo!

Por falar em obscenidades, lembram-se de um(a) senhor(a) que interrompeu uma peça de teatro no São Luiz, em Lisboa? "Transfake", gritou na altura. Insurgia-se, portanto, contra o facto de um actor cisgénero (isto é, que se identifica com o género que lhe foi dado à nascença) representar uma personagem trans. Lamentável, de facto. Mas pior foi depois… Meteu-se num avião e fez uma viagem solitária a Banguecoque. Para quê? Pois claro que sim… Para cortar o pirilau e colocar uma "pepeka" (palavra sua). Ao que parece a coisa não correu bem. Acontece, pronto. E a senhora, agora sim, está em estado extremamente grave. Sofreu um AVC isquémico que "afectou significativamente a sua saúde cerebral". Bem… A que ainda restava! Coitada. Deve estar um caco. Com mais um buraco, ok… Mas não deixa de ser um caco!

Força na pepeka Keyla. Estamos juntos.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Concorda com a mudança regular da hora duas vezes por ano?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas