Chuvas fortes atingem França e Inglaterra após verão de seca

Lusa

Tempestades violentas estão a fustigar a França e os países vizinhos, como a Inglaterra, estando previstos para hoje ventos fortes no sudeste francês, após um verão marcado pela seca extrema na Europa.

Ventos acima de 100 quilómetros por hora (km/h) foram registados no topo da Torre Eiffel, na capital francesa, na terça-feira.

Também nesse dia, o granizo atingiu Paris e outras regiões. A água escorreu pelas escadas das estações de metro e nas plataformas, e vários carros boiaram junto às margens do rio Sena.

No sul de França, tempestades ocorridas entre a noite de terça-feira e hoje inundaram o Porto Velho de Marselha e o principal tribunal da cidade e forçaram o encerramento de praias.

Os temporais também surgiram hoje no sul de Inglaterra, encharcando turistas e residentes de Londres depois de um verão excecionalmente quente e ensolarado.

O serviço meteorológico nacional emitiu alertas de tempestade para hoje e quinta-feira, alertando as pessoas para possíveis inundações e quebras de energia.

Devido às tempestades que também assolavam hoje a Bélgica, algumas zonas da cidade histórica de Gante ficaram inundadas.

Grande parte da Europa Ocidental tem vivido um período de clima extremo que os cientistas associam às alterações climáticas provocadas pelo ser humano.

Atendendo ao mau tempo, o Presidente francês, Emmanuel Macron, adiou hoje um evento na Reviera Francesa para assinalar o 78.º aniversário de uma importante invasão dos aliados da França ocupada pelos nazis, remarcando para sexta-feira.

A chuvas fortes colocaram fim a semanas de calor histórico que deixaram grande parte de França em seca extrema, com rios secos e dezenas de localidades sem água corrente.

Neste verão, uma série de ondas de claro agravou uma seca crítica no continente europeu, criando condições privilegiadas de incêndios florestais.

As chuvas nos últimos dias aliviaram o trabalho dos bombeiros que enfrentam a pior vaga de incêndios de França da última década, embora as autoridades de emergência tenham indicado que fogos florestais continuaram hoje a deflagrar no sudeste do país.