MADEIRA Meteorologia

Bisneta honra obra poética de Teodoro Correia

Data de publicação
02 Janeiro 2024
19:13

Antologia do madeirense conhecido por ‘João Mistério’ foi editada pela Secretaria Regional de Turismo e Cultura, com o título ‘Falam as Coisas Humildes’. A coordenação é da artista visual Georgina Abreu.

  • Bisneta honra obra poética de Teodoro Correia

Chama-se ‘Falam as Coisas Humildes’ a antologia poética do madeirense Teodoro Correio, que acaba de ser editada pela Secretaria Regional de Turismo e Cultura, através da Direção Regional da Cultura, uma obra coordenada pela bisneta do autor, Georgina Abreu, que conta com prefácio de João Carlos Abreu.

A apresentação pública da obra da autoria do poeta, jornalista e novelista conhecido pelo pseudónimo ‘João Mistério’, falecido em 1955, no Funchal, decorreu esta terça-feira, na Quinta Magnólia – Espaço Cultural, conduzida pelo antigo secretário regional.

Na ocasião, Georgina Abreu, jovem artista visual natural do Funchal, com 24 anos, explicou que esta é uma homenagem da própria, assim como de toda a família, prestada ao seu bisavô. “Foi no colo do avô Carlos que descobri, pela primeira vez, os poemas do bisavô Teodoro”, lembra, os quais chegou a citar e a utilizar durante os estudos, tanto no ensino secundário como no ensino superior.

No decurso da realização do último projeto para a faculdade, ocorreu, em plena pandemia, a ideia de editar uma antologia poética, para que mais pessoas, especialmente as da sua geração, tivessem acesso aos poemas do seu bisavô. Aí se iniciou o processo de “recolher, organizar, ler e sentir” os poemas de Teodoro Correia. No final, sentiu que apesar de longo, o processo teve “o seu momento certo”, disse, grata por ver a obra editada, e apresentada por João Carlos Abreu, também autor do prefácio.

São 49 poemas, divididos em sete capítulos, que fazem parte de três publicações de Teodoro Correia (‘Nimbos’, editado em 1932, ‘Rosas do Meu Canteiro’, de 1942, e ‘Ciclo das Caravelas: Poemeto’, editado em 1966). Com o intuito de juntar duas artes e duas gerações, este livro conta com seis fotografias de autoria de Georgina Abreu.

Na apresentação, o secretário regional de Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, realçou o exemplo que a jovem Georgina Abreu é para a sua geração. “Há uma tendência quase generalizada de se olhar para os jovens na casa dos 20 e poucos anos e de pensar que é uma geração que nos deixa pouco.A Georgina é exatamente a prova do contrário”, apontou o governante.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Qual o seu grau de satisfação com a liberdade que o 25 de Abril trouxe para os madeirenses?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas