Intervenção no navio Lobo Marinho ascendeu a 1,5 milhões de euros

A recente intervenção no navio “Lobo Marinho” da Porto Santo Line, custou ao armador 1,5 milhões de euros.

A manutenção a que o navio foi sujeito, em Viana do Castelo, dotou o navio de um esquema inovador de pintura do casco em silicone (HEMPAGUARD X7 - produto sem compostos organoestânicos, atuando como biocidas e em conformidade com a International Convention on the Control of Harmful Antifouling Systems on Ships, adotada pela IMO em Outubro de 2001), que serve de defesa contra incrustações, solução que proporciona também uma grande redução do atrito do casco do navio na água, associando a proteção do ambiente marinho à diminuição das emissões de gases poluentes para a atmosfera (CO2, NOx, SOx e Partículas).

Segundo nota enviada à nossa redação, a Porto Santo Line selecionou o estaleiro português da “West Sea”, em Viana do Castelo, "no qual foi realizada uma profunda intervenção no navio, que ascendeu a 1,5 milhões de Euros, o qual, operando no âmbito de uma concessão de serviço público, não usufrui de quaisquer indemnizações compensatórias do Estado ou da Região Autónoma da Madeira", pode ler-se.

O comunicado adianta ainda que a "Porto Santo Line foi além das exigentes normas internacionais".