O copo meio cheio ou meio vazio?

Começamos mais um ano a lidar com a imprevisibilidade de uma pandemia (que parece não ter fim).

Por vezes, faz desesperar de cansaço, desmotivação, tristeza ou frustração por tudo o que não se concretizou ou não foi vivido como gostaríamos. Chegar ao início de mais um ano é também agradecer as aprendizagens, fazer as pazes com o que correu menos bem e aceitar o que foi doloroso como fazendo parte do crescimento interior.

Será possível fortalecer a esperança neste novo ano?

A vida é como um arco-íris que nos traz constantemente mudanças e desafios… Não podemos controlar as circunstâncias externas, o que vem de fora, o que não está ao nosso alcance, mas podemos aprender a gerir os nossos pensamentos de forma a potenciar emoções adaptativas e uma atitude mais construtiva para o nosso bem estar.

Por isso, há quem veja o copo meio vazio e por isso valoriza mais o que perdeu ou não alcançou, mas há também quem veja o copo meio cheio ao encarar o futuro com esperança e propósito. Precisamos de sonhos para fazer bater o coração e trazer mais energia à vida. Precisamos de cuidar de nós, da nossa saúde psicológica, de alicerçar uma atitude de confiança perante a vida e as adversidades. A esperança é impulsionadora, faz-nos acreditar, transformar, avançar, viver de forma mais equilibrada e satisfatória.

Como ultrapassamos as adversidades e aprendemos com elas?  Quando temos de lidar com problemas e superá-los, precisamos de ativar as forças internas, a resiliência que nos permite adaptarmo-nos às mudanças e transformar as experiências negativas. A resiliência ajuda a gerir o stress das situações difíceis e propicia o desfrutar das coisas boas da vida, mesmo quando há aspetos que correm mal. A resiliência não é uma solução mágica, não significa aguentar tudo sozinho. É importante partilhar as dificuldades, recorrer às pessoas de confiança não é sinal de fraqueza. Atitudes positivas são importantes e estão associadas a resultados favoráveis, o que não significa ignorar os sentimentos dolorosos.

Como podemos desenvolver a nossa resiliência? Começar por aceitar que a mudança e incerteza fazem parte da vida. Somos (quase) sempre mais fortes do que pensamos e cada vez que somos “postos à prova” podemos desenvolver novas capacidades para nos ajustarmos. Nos momentos difíceis é importante encarar os problemas como algo que podemos resolver, ser pró-ativo na procura de soluções e não ficar “fechado” na dificuldade. Que recursos, estratégias e competências usamos anteriormente para ultrapassar obstáculos? Cuidar de si, não só da componente física (alimentação, sono, exercício físico), mas também da saúde psicológica. Envolvermo-nos em atividades de lazer que sejam prazerosas e recorrer ao humor (sempre que possível).

Saber ativar a esperança, confiança em relação ao futuro e o sentido da vida serão certamente bons alicerces para os desafios. Apesar de tudo, vale a pena olhar o copo meio cheio, pois há mais surpresas e oportunidades para realizar em 2022!