MADEIRA Meteorologia

Seca: Câmara de Viseu quer usar águas residuais tratadas para regar espaços verdes

JM-Madeira

JM-Madeira

Data de publicação
18 Agosto 2022
16:22

O presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, disse hoje que espera rapidamente poder aproveitar as águas residuais tratadas para regar as rotundas e os espaços verdes que estão a secar.

"Quero rapidamente que as rotundas, às quais a água foi desligada, e bem, comecem a ser regadas com águas residuais da nossa estação de tratamento Viseu Sul", transportadas por camiões-cisterna, explicou Fernando Ruas, durante a reunião pública do executivo.

Nesse sentido, exortou os serviços municipais a verem "os aspetos legais", fazendo votos de que não sejam criados "obstáculos internos" a esse aproveitamento das águas residuais.

"Temos água tratada que sai em melhores condições do que a água que está no rio", frisou o autarca, considerando que, "com um bocadinho de imaginação", será possível regar as rotundas e espaços verdes que estão a ficar amarelos por falta de água.

Fernando Ruas contou que "duas grandes empresas de um concelho vizinho" já pediram para também usar essas águas na sua laboração, o que poderá vir a acontecer, "desde que sejam sobras" das que são precisas para os jardins de Viseu.

"Não vale a pena andar a marcar passo nesta situação, porque a onda de calor vem aí e já estamos atrasados", realçou.

No final da reunião, Fernando Ruas referiu aos jornalistas que se trata de água "em quantidade muito significativa e que tem sido desperdiçada".

"Se no meu próprio concelho preciso de água para regar, deixo-a ir para o rio? Por que não utilizá-la?", questionou.

O autarca avançou que o município tem alguns meios, mas que se vai candidatar à aquisição de camiões-cisterna no âmbito do fundo ambiental e não descarta "a hipótese de recorrer à iniciativa privada".

No que respeita ao abastecimento à população, Fernando Ruas garantiu que a Barragem de Fagilde, "neste momento, tem água para mais de três meses".

Entretanto, o financiamento para realização de estudo de alternativas à Barragem de Fagilde subiu para 150 mil euros, no âmbito de uma adenda ao protocolo de colaboração técnica e financeira celebrado entre o município e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

O protocolo com a APA visa a realização, por parte desta, de um estudo de alternativas à Barragem de Fagilde, atendendo à necessidade de aumentar a capacidade de armazenamento de água para abastecimento urbano de Viseu e de concelhos vizinhos.

Fernando Ruas disse ainda que, na quarta-feira, celebrou com o presidente de Taiyuan, Zhang Xinwei, uma carta de intenção para o estabelecimento de uma relação amigável entre as cidades portuguesa e chinesa, numa cerimónia ‘on line’.

Esta é a primeira vez que o município de Viseu inicia relações de geminação com uma cidade chinesa. Até hoje, tem dez protocolos assinados com cidades da Europa, África e América do Sul.

Lusa

OPINIÃO EM DESTAQUE
Coordenadora do Centro de Estudos de Bioética – Pólo Madeira
11/04/2024 08:00

A finitude da vida é um tema que nos confronta com a essência da nossa existência, levando-nos a refletir sobre o significado e o propósito da nossa passagem...

Ver todos os artigos

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Concorda com a mudança regular da hora duas vezes por ano?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas