MADEIRA Meteorologia

Estudo revela que há mais sites de notícias locais falsos do que reais nos Estados Unidos

Data de publicação
12 Junho 2024
8:42

O número de sites de notícias locais falsos nos Estados Unidos excede agora o de meios de comunicação autênticos, adiantou o grupo de investigação NewsGuard, manifestando apreensão para uma potencial ‘explosão’ de desinformação cinco meses antes das presidenciais norte-americanas.

Nos últimos meses surgiram centenas de sites que se apresentam como verdadeiros meios de comunicação locais, muitas vezes utilizando artigos partidários gerados por inteligência artificial, pode ler-se no relatório divulgado na terça-feira que identifica 1.265 no total.

Para efeito de comparação, a Northwestern University identificou 1.213 sites de jornais locais nos Estados Unidos no ano passado.

“Atualmente temos mais de 50% de hipóteses de ver um site que afirma cobrir notícias locais ser falso”, destacaram os autores do relatório do Newsguard.

Quase metade destes sites partidários tinha como alvo estados-chave que podem influenciar as eleições presidenciais de novembro em favor de Joe Biden ou Donald Trump, de acordo com o meios de comunicação ‘online’ Axios.

Entre estes meios de comunicação falsos, a Newsguard identificou uma rede de 167 sites de desinformação russos ligados, segundo esta organização, a John Mark Dougan, um ex-polícia da Florida que fugiu dos Estados Unidos para Moscovo.

Outros sites são apoiados por grupos conservadores, bem como por alguns com orientação mais de esquerda, referem os autores do estudo.

Este surgimento de meios de comunicação falsos acontece numa altura em que os jornais locais se estão a tornar cada vez mais raros nos Estados Unidos, muitas vezes devido a problemas económicos.

Num estudo do ano passado, a Northwestern University identificou 204 condados entre 3.000 nos Estados Unidos “sem jornais, sites digitais locais, redações de rádios públicas ou publicações étnicas”.

Estes condados foram, por isso, classificados como “desertos de informação”.

Os jornais continuam a desaparecer a uma taxa de mais de dois por semana nos Estados Unidos, de acordo com o estudo, enquanto o país perdeu quase dois terços dos seus jornalistas de imprensa escrita desde 2005.

“Com o desaparecimento dos jornais tradicionais, os sites falsos correm para preencher o vazio”, salientaram os investigadores da Newsguard no seu relatório.

“Como resultado, milhões de americanos ficam sem informações locais autênticas”, acrescentou a organização.

Estes sites de propaganda partidária falsos dependiam anteriormente de uma legião de autores, mas o rápido desenvolvimento da Inteligência Artificial generativa significa que agora é muito mais barato e muito mais rápido criar conteúdo falso que é difícil de distinguir do conteúdo real.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Quem vence o Campeonato Europeu de Futebol?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas