MADEIRA Meteorologia

SAD do Desportivo de Chaves nega violência por parte dos adeptos e quer justiça

Data de publicação
22 Abril 2024
18:18

O presidente da SAD do Desportivo de Chaves disse hoje que os adeptos transmontanos não foram violentos nem agrediram jogadores do Estoril Praia no duelo da 30.ª jornada da I Liga, avançando que será aberto um processo interno.

“Quero que fique bem vincado que os adeptos do Desportivo de Chaves não foram violentos nem tentaram agredir os atletas do Estoril Praia. Ao começarem a agredir os adeptos, os atletas perdem a razão. Vamos ver os relatórios, tanto da Liga como da Polícia [de Segurança Pública] e tentar defender os nossos [adeptos]. Queremos que seja feita justiça”, assegurou Francisco José Carvalho, presidente da SAD do Desportivo de Chaves, em declarações à agência Lusa.

O responsável condenou, porém, a invasão de campo, razão pela qual será aberto “um processo interno”.

“Vamos verificar quem foram os adeptos que entraram em campo. Se forem sócios do Desportivo de Chaves, iremos tomar medidas porque não podem sair impunes desta situação. Tem de haver aqui uma sanção para as pessoas que invadiram o relvado”, adiantou o responsável.

Francisco José Carvalho lamentou a atitude do guarda-redes Marcelo Carné que, no seu entender, “enquanto profissional” não devia ter partido para a violência depois de ter sido o protagonista de “várias incidências que acabaram por [dar origem] ao que não deveria acontecer”, a invasão de campo.

“Quem iniciou a violência foram os jogadores do Estoril Praia, não foram os adeptos do Desportivo de Chaves. O que os adeptos fizeram não se faz, mas também não houve violência, simplesmente foram pedir satisfações ao guarda-redes porque este, desde o início da segunda parte, depois de marcarem o [primeiro] golo, esteve sempre a provocar os adeptos e a insultar o apanha-bolas”, vincou.

Segundo o dirigente, a intenção do adepto que invadiu o relvado não era agredir o guarda-redes estorilista.

“Um adepto do Desportivo de Chaves invade o relvado e dirige-se ao guarda-redes [Marcelo Carné], que estava de costas, se quisesse [agredi-lo], tinha-o feito logo e não o fez, simplesmente foi lá para falar do que estava a acontecer”, reiterou.

Relativamente às possíveis sanções para a estrutura flaviense, Francisco José Carvalho adiantou que espera “uma multa muito pesada e, se calhar, algum jogo à porta fechada”.

Uma invasão de campo quando decorria o período de descontos do jogo de domingo entre o Desportivo de Chaves e o Estoril Praia, da 30.ª jornada da I Liga de futebol, disputado em Chaves, resultou em desacatos e agressões entre adeptos flavienses e jogadores do Estoril Praia, com o guarda-redes Marcelo Carné e Pedro Álvaro a verem o vermelho direto.

Após uma paragem de cerca de 20 minutos, o jogo foi retomado, com a equipa da casa a chegar ao 2-2 com um golo aos 90+20 minutos, por intermédio de Morim, quando na baliza do Estoril Praia o avançado João Carlos assumia a posição de guarda-redes.

A equipa da casa marcou primeiro, por intermédio de João Correia, aos 32 minutos, mas os estorilistas adiantaram-se, com golos de Basso (58) e Fabrício (71), cedendo o empate depois do reinício do encontro.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Quem acha que vai governar a Região após as eleições de 26 de maio?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas