IL acusa Câmara do Funchal de desrespeito por causa do ruído na Zona Velha

Iolanda Chaves

A Iniciativa Liberal (IL) acusou hoje a presidência da Câmara Municipal do Funchal de desrespeito pela falta de resposta a um pedido de reunião, que tem como objetivo debater o ruído noturno na Zona Velha.

De acordo com um comunicado enviado ao JM, o partido diz que requereu reuniões no passado dia 8 de junho ao presidente da autarquia, Inspecção das Actividades Económicas (ARAE), Comando Regional da PSP Madeira e Provedoria de Justiça, tendo já reunido com todas as entidades à exceção da Câmara.

"Curiosamente foi a única entidade que não se dignou responder. Nem por cortesia. Demonstrou desrespeito por esta estrutura partidária, o que nem consideramos grave, mas acima de tudo desrespeitou quem ali vive e não consegue descansar, pessoas esgotadas, tanto física como psicologicamente", considera a Iniciativa Liberal.

Relativamente à reuniões realizadas, o partido revela que a Provedoria de Justiça tem um inquérito a decorrer.

"Foram reuniões profícuas, de onde facilmente se concluiu, como se disso não soubéssemos, que a entidade que pode, e tem a obrigação, de resolver este problema é a Câmara Municipal do Funchal", revela a Iniciativa Liberal.

O partido lembra que foi entregue na Câmara, no dia 8 de outubro de 2021, um abaixo-assinado com cerca de 120 assinaturas e conclui dizendo que aguarda "pacientemente" por uma resposta da autarquia e que "menos paciência" têm os moradores da Zona Velha "à espera de que a CMF faça cumprir a Lei Geral do Ruído e o que o PDM determina ao considerar aquela parte da cidade como zona mista".

"A situação é grave e a Câmara Municipal do Funchal tem que assumir as suas responsabilidades", sublinha a comissão coordenadora da Iniciativa Liberal.