MADEIRA Meteorologia

Artigo de Opinião

Directora Business Development

14/02/2024 08:00

A data é sugestiva a amor, harmonia, união, mensagens de carinho, esperança e de compromisso para um futuro conjunto e melhor – é assim o Dia dos Namorados e é assim que deverá ser.

Mas existe um paralelo com o ambiente político que vivemos e esse paralelo deverá ser tido em linha de conta, essencialmente no que toca à esperança e compromisso para um futuro melhor para todos, portugueses residentes e não residentes em Portugal - para um futuro melhor para Portugal.

O período de pré-campanha eleitoral para as eleições legislativas que se avizinham a 10 de Março, está em força. Dentro e fora do território português colam-se cartazes de campanha, cumprimentam-se multidões, ouvem-se lamentos de um Portugal fraco, empobrecido, desorganizado e triste.

Em Londres, onde vivo, oiço histórias de uma emigração que foi empurrada para fora do seu país para poder pagar contas, onde a alternativa era nenhuma – alguns novos e prontos a embarcarem numa viagem cultural cheia de desafios, que todos os emigrantes se confrontam quando chegam aos seus países de acolhimento e outros, já não tão novos, sem saberem falar uma língua estrangeira, mas com receio do futuro e com a experiência e maturidade de momentos sofridos em Portugal, agarram-se a um balde e uma esfregona, onde há sempre lugar para mais um e passam o seu dia de trabalho em silêncio, acompanhados pelas memórias em português, dos que mais amam e que ficaram em Portugal. Esboçam um sorriso farto cada vez que ouvem falar português e estão sempre prontos a partilharem uma história passada na terra, que explicam ao detalhe, como em busca de encontrarem uma ligação a um lugar melhor. Nestes breves momentos de partilha e felicidade, as suas cabeças estão em Portugal, com um dia de sol, e por breves momentos, esquecem o trabalho que lhes espera.

Em Portugal, os partidos se confrontam em escassos debates políticos, que não permitem passar para além do insulto mútuo e dos atropelamentos constantes de cada um dos intervenientes. Onde fica o debate político sério, a discussão de ideias e de programas de governo a que se propõem? Não será verdadeiramente esse o intuito de um debate político em tempo de campanha?

A ética e integridade na política está a atravessar o seu momento mais baixo em Portugal. Os partidos de esquerda, nomeadamente o Bloco de Esquerda, na ânsia cega de poder e dados os maus resultados que os esperam, jorram embustes e falsas verdades constantes, disfarçados de grandes guardiões dos pobres e dos miseráveis, quando na verdade foram eles que, em conjunto com o partido socialista e os comunistas, empurraram os portugueses para a miséria, sugando com impostos os magros rendimentos dos portugueses, em táticas cavernosas de reversão de processos de privatização, como é o caso da TAP e outros, que custam milhões aos pobres portugueses e que estes senhores da esquerda insistem em manter, em nome de uma política de continuidade, bloqueando a iniciativa privada e o crescimento do país, em prol do poder do Estado.

A esquerda brinca com o dinheiro dos portugueses, a cada imposto, taxa e taxinha que cobram e depois chamam de dinheiro público, mas não existe dinheiro público – existe sim dinheiro pago por cada um dos contribuintes e isso é dinheiro dos portugueses, que deve ser cuidadosamente gerido, para bem dos portugueses e para bem de Portugal.

Sou candidata a deputada da Assembleia da República em Lisboa, pelo círculo eleitoral da Europa, pela Aliança Democrática (PSD), um círculo que bem conheço e faço parte há mais de 15 anos. A emigração portuguesa irá ter a oportunidade de votar via postal, e os boletins de voto já começaram a chegar. Tenham em atenção as instruções de envio e como devem enviar a cópia do cartão do cidadão, frente e verso. Peço que votem, votem para a mudança de Portugal para melhor, votem porque essa é a vossa voz, mesmo que distantes. Já não dá mais para continuar assim, mas pudemos mudar para um Portugal melhor. Não se esqueçam de votar.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Concorda com a mudança regular da hora duas vezes por ano?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas