MADEIRA Meteorologia

Artigo de Opinião

23/07/2022 08:00

Fim do problema? Só o início!

Portugal é, atualmente, o terceiro país da Europa com mais área ardida. Este ano, já arderam quase 58 mil hectares de área rural, o dobro da área ardida em 2021.

Em 2017, chorámos, todos, com Pedrogão, naquele que foi o maior incêndio florestal e o mais mortífero de sempre em Portugal. O 11º incêndio mais mortífero a nível mundial, desde 1900. Na altura, Catarina Martins até pediu chuva e o Governo prometeu um projeto piloto florestal e a maior mudança na floresta desde os tempos de D. Dinis.

O que mudou? Pouco, ou nada.

Agora, Costa diz que se compreendeu que "não basta investir na Proteção Civil, nos meios aéreos, nos equipamentos para bombeiros. Não basta investir na prevenção por parte dos cidadãos. Tudo isto é essencial, mas não basta".

E a resolução do problema?

Bem, só em 2021, o Conselho de Ministros aprovou instrumentos relacionados com o ordenamento do território, ordenamento da paisagem ou intervenções ligadas à gestão do espaço rural.

Ora, tendo 2017 como pano de fundo, mantiveram-se praticamente as mesmas políticas. As mesmas políticas equivalem aos mesmos resultados: muitas promessas, pouca execução. Nenhuma reforma, aliás como já nos habituou a governação socialista.

O problema dos incêndios vai muito mais além do que a mãozinha humana de quem os ateia.

Julho, por exemplo, é o mês mais quente dos últimos 81 anos. Ninguém se lembrou do combate - a sério - às alterações climáticas?

Ninguém se lembrou que há proprietários que nem sabem que o são? A atualização do cadastro só é tema quando cheira a pólvora. Depois, tudo adormece.

O interior continua abandonado. Não há limpeza. Não há ordenamento. Não há reformas. Não há políticas transversais.

Há uma manta de retalhos de ideias e falas mansas que se resumem, pela voz de António Costa, a uma prevenção como a da pandemia. Como se prevenir estes cenários fosse tão fácil como colocar uma máscara na cara e desinfetar as mãos.

Bem, se calhar era bom pôr a mascara para tapar a sem vergonhice. Lavar as mãos, já muitos o vêm a fazer. Ah triste fado, esta gente a governar uma República.

OPINIÃO EM DESTAQUE
Coordenadora do Centro de Estudos de Bioética – Pólo Madeira
11/04/2024 08:00

A finitude da vida é um tema que nos confronta com a essência da nossa existência, levando-nos a refletir sobre o significado e o propósito da nossa passagem...

Ver todos os artigos

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Concorda com a mudança regular da hora duas vezes por ano?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas