Julgamento da SAD do Marítimo arranca com sessão curta

Redação

Arrancou hoje o julgamento da Sociedade Anónima Desportiva (SAD) do Marítimo e de cinco dirigentes, que estão acusados pelo Ministério Público pela prática de crimes de fraude fiscal qualificada e fraude contra a Segurança Social.

Como era de esperar, os cinco arguidos remeteram-se ao silêncio, pelo que a sessão que decorreu esta manhã no Juízo Central Criminal do Funchal acabou por ser curta, e praticamente limitada à leitura da acusação, que foi levada a cabo pela juíza Teresa de Sousa, presidente do colectivo de juízes nomeado para julgar este caso.

Foram constituídos arguidos o presidente da SAD, Carlos Pereira, mais outros quatro dirigentes: Ivo Martins, Jacinto Vasconcelos, Rui Nóbrega Gonçalves e Rui Sá.

O julgamento prossegue tarde de hoje, estando prevista a audição de testemunhas arroladas pela acusação.