MADEIRA Meteorologia

Projeto da Festa da Flor permitiu “juntar o útil ao agradável” e “trabalhar para uma causa”

Marco Milho

Jornalista

Data de publicação
15 Maio 2024
20:23

Ao falar sobre o conceito apresentado para este ano, Isabel Borges explica que a ideia, inspirada em padrões africanos, surgiu através da vontade de fazer algo diferente. A decoradora, convidada de hoje da rubrica ‘Plaza com...’, promovida pelo JM e pelo centro comercial Plaza Madeira, com transmissão no canal NaMinhaTerra.TV, vincou o facto de o projeto conseguir aliar a Festa da Flor e uma causa nobre.

“Estava cansada de fazer vestidos um pouco semelhantes uns aos outros”, justifica a artista, que encontrou um padrão em particular numa feira de Paris, que a transportou para um continente que diz adorar. “Por causa das cores, África é muito verde, tem muita cor.”

Por outro lado, Isabel Borges realça que o projeto lhe permitiu “juntar o útil ao agradável”, ao juntar à Festa da Flor o trabalho em prol de uma causa. As sobras dos tecidos usados serão doados à ‘Dress a Girl Around The World’, uma organização não-governamental, que cria vestidos para doar a meninas de países carenciados. “Mandamos os tecidos para lá, os voluntários fazem os vestidos e vão entregar em mão às crianças. Isto é uma gota de água, mas se cada um acha que a sua gota não serve para nada, nunca mais se enche um copo.”

Além disso, a decoradora afiança que este projeto “tem muito a ver com os madeirenses”. “Isto não é um projeto assim tão descabido. Nós temos uma costela africana, África está mesmo aqui ao lado, os nossos antepassados foram escravos africanos...”, enuncia.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

O presidente do Marítimo tem condições para continuar no cargo após agredir um adepto?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas