Participação das autarquias "vai potenciar oferta dos percursos pedestres", diz PSD

O Grupo Parlamentar do PSD pretende compatibilizar a crescente procura pelo pedestrianismo com a sustentabilidade ambiental, com a apresentação de legislação que define o novo regime jurídico dos percursos pedestres da Região Autónoma da Madeira, envolvendo novas entidades na criação de percursos recomendados.

Numa iniciativa realizada na Levada do Norte, no Estreito de Câmara de Lobos, o deputado Nuno Maciel salientou que esta maior procura de turistas pelas nossas veredas e levadas representa uma realidade positiva, mas também alguma pressão sobre alguns dos percursos, pelo que este novo diploma surge como uma adaptação a uma legislação que conta já com 20 anos, fazendo um novo enquadramento face à realidade atual e abrindo a porta a que outras entidades, para além do Governo Regional, possam também propor a criação de novos percursos pedestres recomendados.

"O que nós queremos é que entidades gestoras de levadas, entidades privadas de áreas florestais, municípios e juntas de freguesia possam também, no quadro da sua autonomia, aportar e propor a criação de novos percursos pedestres", afirmou Nuno Maciel, reforçando que, deste modo, seria possível diversificar a oferta, contribuindo para que a tal sobrecarga que temos em muitos percursos possa ser aliviada. Além disso, esta seria uma forma de os turistas conhecerem "outras realidades locais, que muitas vezes identificam aquele que é o património natural, rural e identificado das diferentes localidades, indo ao encontro de estratégias de desenvolvimento local e procurando alavancar a economia nessas mesmas localidades."

Paralelamente, sublinhou, seria dada "às câmaras, juntas, entidades gestoras de levadas e a outros privados, a possibilidade de também eles acrescentarem valor à sua economia local".

O deputado adiantou que, uma vez criados, os percursos recomendados, farão com que as localidades onde se encontram sejam igualmente promovidas, uma vez que serão divulgados em todos os canais da estratégia regional para o Turismo.

"É este trabalho de parceria, que poderá ir até ao limite da intermunicipalidade, que nós queremos sedimentar na Região e é este o caminho que é possível fazer para termos mais e melhor pedestrianismo, sempre com qualidade, com rigor, com regras claras e transversais para todos e que possa contribuir, obviamente, para o desenvolvimento da nossa economia, com sustentabilidade ambiental", disse.