MADEIRA Meteorologia

Chega diz que programa de Governo é “rol sem nexo de intenções”

Data de publicação
16 Junho 2024
9:45

O Chega-Madeira acusa o governo regional de ter convertido o programa de governo numa lista de intenções, feita para agradar a todos, mas que não é provida de sentido estratégico. Para aquele partido, o programa de governo apresentado na passada sexta-feira reflete desespero político e o desejo do PSD de se manter agarrado ao poder a qualquer custo.

Como afirma Miguel Castro, em nota de imprensa, “este programa tenta seduzir tudo e todos com palavras bonitas, incluindo propostas que, até há bem pouco tempo, o governo considerava impossíveis de atingir. Na prática, o programa não apresenta rotas, não define estratégias e vive apenas da ambição de um governo que, agora, quando vê a sua sobrevivência em causa, quer prometer tudo a todos, sem dizer como é que o vai fazer.”

Além de apontar o dedo à falta de rumo estratégico do documento, o Chega sublinha várias áreas nas quais o programa de governo é silencioso ou apresenta soluções que são fracas ou inexequíveis, “entre as quais a valorização do sector primário, a resolução da crise na habitação, a defesa dos interesses dos jovens, o combate à precariedade laboral, o combate à criminalidade, a luta contra o consumo de drogas e a monitorização das crescentes comunidades imigrantes”.

Outro dos temas quanto aos quais o Chega vê pouco interesse da parte do governo regional é o combate à corrupção.

”Talvez por receio, ou apenas por conveniência, o governo continua a incutir a missão de combater a corrupção, o compadrio, o amiguismo e as redes de interesses a instituições que estão, direta ou indiretamente, dependentes do próprio governo. Ou seja, o programa quer que acreditemos que os organismos do governo serão capazes de controlar e fiscalizar o próprio governo, tal como se fosse possível pôr uma raposa dentro do galinheiro e esperar que ela não trucidasse as próprias galinhas”, sublinha o líder do partido a nível regional.

Na opinião do Chega, a abordagem do governo ao combate à corrupção é “propositadamente ingénua e infantil”, demonstrando uma falta de compromisso com a luta contra as redes de influência que, segundo o partido, têm asfixiado os madeirenses.

Por tudo isto, e por sentir que o programa representa um esforço desesperado de um governo para agradar a todos e fazer tudo o que não fez em quase dez anos de governação, o Chega afirma que o documento não merece a sua boa consideração.

”Não é com desespero, operações forçadas de cosmética e listas de intenções desgarradas de contextualização estratégica que se constrói o futuro da Madeira. No final, é cada vez mais claro que este governo não tem nada de novo, ou de bom, para dar aos madeirenses”, conclui Miguel Castro.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Quem vai ganhar o Europeu?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas