MADEIRA Meteorologia

Artigo de Opinião

Médico-Dentista

2/07/2023 05:17

O nosso Secretário do Turismo até já disse que se há tanta festa, e sobreposta, é porque há procura. E há. Prova disso é que na quarta foi a festa final do Caetano e o ginásio estava composto. Sim, agora, terminando a pré, já têm direito a uma espécie de baile. Juro. Tanto que até cheguei a temer que me chegasse a casa também a pedir para ir em alguma viagem de finalistas. Não é por nada, mas acho que ainda não estou preparado para o deixar ir. Bem sei que já tem 5 anos e mais cedo ou mais tarde vou ter que me adaptar à ideia de seguir a vida dele. Talvez até mais cedo do que esteja a pensar, isto porque há tempos perguntou-me se podia ir estudar para fora. Confesso que na hora não vi mal nenhum. Coloquei a secretária na varanda e pronto. "Não é nada disso pai. Estou a falar em orgasmos". Ups. Não contava com aquela. "Sim, ir estudar para outro país"! Fez-se luz. "Ahhhh. Erasmus, filho. Erasmus". "Esquece. Nem penses". "Ficas aqui e acabou". Entendam, é que para mim ele vai ser sempre um bebé.

No mesmo dia, mas à noite, tive o espetáculo de encerramento da ginástica rítmica da Eduarda. Nunca a tinha visto naquele registo. Pintada a rigor. Rabo de cavalo irrepreensível. Vestida toda apertadinha. Um mimo. Exercitava-se coordenada com as colegas. Não errava um único movimento. No momento em que eu quase soltava uma lágrima, orgulhoso da minha cria, a fulana fez uma espargata que até a mim doeu. Ui. Seguida de uma ponte que julguei que fosse partir a espinha. Chiça. A nível de elasticidade não sai ao pai. De certeza! Se tivesse o azar de me espalhar como ela, a esta hora estava com gesso desde o dedo do pé até à ponta do nariz… O raio da miúda parece de borracha. Só tive tempo de me arrepiar, cerrar os dentes e fechar os olhos. Temi ouvir um claaaack… Mas não. Correu tudo bem!

Inteirinha, e já na sexta, foi então a vez dela se despedir do 3° ano. "Não te atrases, pai. Quero muito que me vejas marchar". Ehlá… Querem ver que se fartou de estudar e se alistou no exército e não me disse nada?! Será que vai para alguma missão?! "Vou e vou mesmo, filha. Conta comigo". E fui. Com o coração nas mãos, mas fui. Felizmente tudo não passou de um susto. Na verdade, referia-se às Marchas Populares. Ia desfilar. Menos mal…

Se achavam que as festas estavam arrumadas, desenganem-se. Ali pela mesma hora, o outro, o que já tinha festejado na quarta o fecho do ano lectivo, tinha a festa final do futebol. Desfavorecido no que a omnipresença diz respeito, tive que atirar a moeda ao ar. Ou bem estar no arraial da Eduarda, ou bem no convívio do Caetano. A escolha não era fácil, mas a vida é assim mesmo. Uma vez que a moeda caiu de pé, desdobrei-me e fui aos 2. Afinal de contas, o que é que um pai não faz pelos filhos?

Ainda assim, finalizadas estas celebrações, esgotado, dei por mim a pensar que não me devia queixar. Mudam-se os tempos, mudam-se as festividades. Se na minha altura de estudante só era finalista aquele que terminava o 12° ano, agora não. É finalista todo aquele que consegue chegar ao fim de qualquer coisa. Pronto. Fazer o quê? É aceitar. Aceitar e preparar para o que aí vem. Sim, porque por este andar e com tudo pela hora da morte, cada vez que se chegar ao final do mês vivo e com dinheiro, será motivo para se dar um festão. O chamado baile de equilibristas!

Já sem motivos para grandes festejos parecem estar os franceses. De há uns dias a esta parte que se manifestam contra a morte de um jovem de 17 anos. Pedem justiça porque aquele menino que diziam ser "dócil e gentil" foi atingido por um tiro de um polícia arisco. De facto, é revoltante. Isso não se faz a um animal, quanto mais a uma pessoa. Está bem que o menino estava a conduzir sem habilitação. Está bem que, segundo consta, já tinha cadastro. Está bem que se preparava para fugir… Mas disparar assim um tiro à queima roupa? Não. Desculpem, mas eu insisto. Isso não se faz. Eu cá estou com os franciús… Na minha opinião deviam ter escoltado o mon chérie até casa e, depois de dado o leitinho e colocada a fralda, aconchegá-lo no berço. Coitado do anjo! É que agora vão sofrer as consequências. Armou-se um baile de activistas que eu não sei como e quando vai acabar. Seja o que Deus quiser.

Por falar em querer, quem quiser pedir alguma coisa é aproveitar até 24 de setembro. Palavra de honra. O Conselho do Governo decidiu dar 17 mil euros à Opus Gay. Bravo! A meu ver só pecam por defeito. Calma, não estou a dizer que os LGBTIQABCDEFGHXYZ+ têm um defeito. Cruzes credo. Também ninguém pode dizer nada que levam logo tudo a peito. Ai! Que maçada. Só estava a dizer que em vez de 17 deviam ser mais… Uns 69! Primeiro porque com tão pouco investimento, não se pode pensar em grandes celebrações. Vai dar para umas festinhas pelo corpo e pouco mais. Depois porque se há quem merece, são eles. Vocês, eu não sei, mas eu cá não imagino a dor. É daquelas coisas que só quem passa mesmo…

Vá, força. Se puder ajudar, contem comigo. É só mandar o nib que eu promovo uma recolha de donativos. Juro. É de curação.

Por outro lado, sem motivos de queixas estão os polícias. Então não é que a PSP também teve direito a miminhos? É pois. Foram, entre outras coisas, 5 projetores, 5 televisores e 10 sofás. Nada mau. Antes isso que radares novos e esferográficas leves. Mesmo assim, se não estiverem satisfeitos e quiserem 2 colchões (ai se o 2.º "c" fosse mudo), eu dou os meus… Prometo!

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Qual o seu grau de satisfação com a liberdade que o 25 de Abril trouxe para os madeirenses?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas