MADEIRA Meteorologia

Venezuela: Governo e oposição iniciam nova ronda de negociações no México

JM-Madeira

JM-Madeira

Data de publicação
03 Setembro 2021
8:57

Representantes do Governo de Nicolás Maduro e da oposição liderada por Juan Guaidó, vão retomar, sexta-feira, nova ronda de negociações no México, com a mediação da Noruega, tendo no horizonte as eleições regionais de 21 de novembro.

As negociações, que deverão prolongar-se por três dias, têm lugar na sequência das negociações iniciadas em 13 de agosto último e que levaram, segundo a imprensa venezuelana, o regime a libertar o político opositor Freddy Guevara, e a Plataforma Unitária da Venezuela a anunciar que participará nas próximas eleições venezuelanas.

Segundo o Presidente Nicolás Maduro, na nova ronda de negociações "a Venezuela vai apresentar uma petição firme com todas as exigências para a recuperação da economia do país" e "exigirá que sejam levantadas todas as sanções" contra e empresa estatal Petróleos de Venezuela SA (PDVSA).

Também que sejam devolvidas as reservas de ouro que se encontram no Banco de Inglaterra e os fundos que estão bloqueados, devido às sanções norte-americanas, em contas bancárias de vários países, incluindo no Novo Banco, em Portugal.

O governo venezuelano quer ainda a abertura de um "diálogo direto" com o Governo dos Estados Unidos, um dos mais de 50 países que apoiam o líder opositor Juan Guaidó.

Por outro lado, a oposição, apesar de ter anunciado que participará nas regionais de 21 de novembro, vai continuar a pedir garantias para que as eleições sejam "livres e justas", no que diz ser uma etapa de um acordo de salvação nacional que permitirá afastar Nicolás Maduro do poder e convocar um governo de transição.

Beneficiado pelas primeiras negociações e libertado depois de passar mais de um mês em prisão, Freddy Guevara disse aos jornalistas que a oposição tem que "passar por um processo de convivência" das distintas forças políticas do país, incluindo com o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, o partido do Governo), sem que isso implique conviver "com estruturas ditatoriais".

Em tal sentido a oposição quer o partido Vontade Popular (centro-esquerda), do qual fazia parte Juan Guaidó, deixe ser classificado pelo regime como "fascista e terrorista".

Enquanto o Governo venezuelano diz ter forçado a oposição a abandonar o caminho da violência, a participar nas eleições e a reconheça Nicolás Maduro como Presidente da Venezuela, os opositores continuam a questionar as autoridades do Conselho Nacional Eleitoral e a insistir que o atual Chefe de Estado está "a usurpar o poder".

Representantes do Governo do Presidente e da oposição aliada de Juan Guaidó iniciaram na sexta-feira uma nova ronda de negociações, no México, com a mediação da Noruega, com a assinatura de um acordo de entendimento.

Na ronda de negociações de 13 de agosto, que decorreu no México, os representantes do Governo venezuelano e da oposição assinaram um memorando de entendimento manifestando a intenção de chegar a um acordo sobre "as condições necessárias para que se realizem os processos eleitorais consagrados na Constituição, com todas as garantias, entendendo que é uma necessidade levantar as sanções internacionais" impostas a Caracas.

Na agenda estão ainda temas relacionados com "direitos políticos para todos, o respeito pelo Estado constitucional e garantias para a implementação e acompanhamento dos acordos".

A crise política, económica e social na Venezuela agravou-se desde janeiro de 2019, quando o então presidente do parlamento, o opositor Juan Guaidó, jurou publicamente assumir as funções de Presidente interino do país até afastar Nicolás Maduro do poder, convocar um Governo de transição e eleições livres e democráticas.

Segundo diversas organizações, 5,6 milhões de venezuelanos abandonaram o país desde 2015, fugindo da crise.

A Organização de Estados Americanos (OEA) alertou recentemente que a emigração de venezuelanos poderá atingir os sete milhões até ao primeiro trimestre de 2022, superando os 6,7 milhões do êxodo da Síria.

Lusa

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Quem acha que vai governar a Região após as eleições de 26 de maio?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas