MADEIRA Meteorologia

Doze condenados por morte de albino no Maláui, incluindo um familiar e um padre

JM-Madeira

JM-Madeira

Data de publicação
27 Junho 2022
16:54

Um padre foi hoje condenado a 30 anos de prisão por um tribunal em Blantyre, sul do Maláui, e mais 11 foram condenadas, incluindo cinco a prisão perpétua, no caso de um albino que foi morto e desmembrado em 2018.

Os parentes da vítima tinham prometido apresentá-lo à sua futura esposa, mas MacDonald Masambuka, um albino de 22 anos, foi emboscado e morto, depois desmembrado e os seus ossos retirados para venda, de acordo com a decisão judicial, citada pela agência France-Presse (AFP).

Ao todo, foram condenadas 12 pessoas e cinco delas, incluindo o irmão da vítima que montou a armadilha, foram condenados a prisão perpétua, a pena máxima.

O assassinato "foi motivado pela incapacidade do falecido, nomeadamente albinismo", disse a juíza Dorothy NyaKaunda Kamangadu na sua decisão.

O padre católico Thomas Muhosha, que dirigia a paróquia a que está ligada a cidade de Machinga, cerca de 100 quilómetros a leste de Blantyre, foi considerado culpado de tentativa de venda de partes de corpo e o juiz considerou que este violou a "confiança" da comunidade.

Neste país pobre da África Austral, os albinos são frequentemente alvos de ataques. As suas partes do corpo são utilizadas em rituais de bruxaria por quem acredita trazer riqueza e saúde.

Desde 2014 que pelo menos 40 assassinatos e 145 agressões foram relatados, no âmbito de uma onda de violência dirigida contra os albinos no país.

LUSA

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

O que se segue à demissão de Miguel Albuquerque?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas