Governo Regional nega discriminação e lembra investimentos diretos

David Spranger

Os concelhos vão sendo esmiuçados um a um no debate do Estado da Região, que leva o Governo Regional hoje ao plenário madeirense. Pedro Calado já evidenciou 6 ME na Ponta do Sol e 18 ME na Ribeira Brava, só no PIDDAR 2021.

Carlos Coelho falou pela Ponta do Sol. O deputado do PS falou numa “floresta pronta a arder no acesso ao Paul da Serra”, acusou o Governo Regional de se “apoderar, roubar, à Câmara para dar à Sociedade de Desenvolvimento, refiro-me à Madalena do Mar, que é uma verdadeira vergonha” e questionou ainda questões relacionadas como a aquacultura.
Já Olga Fernandes saiu em defesa da Ribeira Brava, detalhando muitas obras por fazer. A deputada do PS falou em apreensão de moradores, em matéria de segurança derivada de intempéries cujas respetivas reabilitações estão ainda por concretizar. E criticou as obras que se tornaram inoperacionais, em simultâneo, os cais da Ribeira Brava e da Tabua. Falta de água e falta de infraestruturas de saneamento básico, foram outras das críticas.
O terceiro pedido de esclarecimento desta fase do debate da Região, coube a Paulo Alves. O deputado do JPP apontou o dedo à Saúde, às listas de espera e cirurgias que diz estarem por realizar. Condescendeu com a crise pandémica, “mas há problemas que não têm a ver com a pandemia e que se arrastam há anos”, assegurou. “Se quer resolver o problema, vá ao privado”, diz Paulo Alves que é isto que os utentes ouvem por parte do SESARAM.
Pedro Calado assumiu as respostas. A Carlos Coelho lembrou eu “só no PIDDAR 2021 constam a seis milhões de euros para a Ponta do Sol”. Mais, “nos últimos quatro anos só se falou na Ponta do Sol por causa dos nómadas digitais”, deixando implícito que a autarquia local nada.
A Olga Fernandes lembrou que “só em investimento direto na Ribeira Brava, são 18 milhões de euros de investimento direto neste PIDDAR”.
A Paulo Alves respondeu Pedro Ramos. O secretário regional que tutela a Saúde, disse que o “Serviço Regional de Saúde não é perfeito e estamos sempre em evolução”, com implementação de medidas que “ao contrário de Santa Cruz, não é só para os amigos”.