MADEIRA Meteorologia

Venezuela: Descendente de madeirense reconhecido pela União Pan-americana de Taekwondo

O luso-venezuelano Arlindo Gouveia, uma das glórias olímpicas da Venezuela, foi reconhecido pela União Pan-Americana de Taekwondo (PATU) na noite da passada segunda-feira, 29 de janeiro ao receber o prémio especial do organismo desportivo devido à sua extraordinária carreira na modalidade.

O prémio foi-lhe entregue durante a gala da PATU em Querétaro, no México, onde está sediada a PATU. A carreira laureada deste luso-venezuelano, no desporto natural da República da Coreia, inclui medalhas de ouro nos Jogos Bolivarianos de Maracaibo, em 1989, no Campeonato Pan-Americano de Bayamón (Porto Rico), em 1990, nos Jogos Centro-Americanos e das Caraíbas, no México, no mesmo ano, e nos Jogos Pan-Americanos de Havana (Cuba), em 1991.

O seu primeiro triunfo internacional foi na Taça Azteca, no México, em 1987, onde conquistou a medalha de bronze, depois de ter ganho a medalha de prata na edição de quatro anos antes, em Indianápolis, nos Estados Unidos.

Sem dúvida, a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, foi o maior sucesso de Gouveia na sua época de taekwondista na categoria de 54 kg. Tornou-se o primeiro venezuelano a subir ao lugar mais alto do pódio no Taekwondo Olímpico. Só em 4 de maio de 2018 é que o Comité Olímpico Internacional (COI) reconheceu oficialmente a sua medalha nos Jogos.

Ainda durante a gala, o mestre sul-coreano Hung Ki Kim, que foi treinador de Gouveia durante os Jogos Olímpicos de Barcelona e é atualmente o presidente da Federação Venezuelana de Taekwondo, foi também exaltado no Hall da Fama da União Pan-Americana.

Arlindo Inácio Gouveia Colina nasceu em Punto Fijo, estado de Falcón, a 22 de dezembro de 1969, filho de um comerciante madeirense natural da freguesia de Fajã da Ovelha, Concelho da Calheta, Região Autónoma da Madeira, e nos anos seguintes mudou-se com a família para a cidade de Puerto La Cruz, estado de Anzoátegui.

Iniciou-se no taekwondo sob a orientação do professor Hung Ki Kim aos 9 anos de idade. Em 1979 obteve o cinturão amarelo e em 1986 o grau de cinturão preto 1.º dan. Gouveia foi campeão nacional de taekwondo de 1982 a 1991, representou o estado de Anzoátegui em diferentes campeonatos para crianças, jovens e adultos, ganhando a medalha de ouro em cada um deles.

Gouveia, também conhecido pela alcunha “Ojo de Tigre”, é, até à data, o único atleta luso-venezuelano a ganhar uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos e faz parte do Hall da Fama do Desporto da Venezuela.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Qual o seu grau de satisfação com a liberdade que o 25 de Abril trouxe para os madeirenses?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas