MADEIRA Meteorologia

Albuquerque lamenta descida do Marítimo e pede reflexão sobre financiamento do futebol na Madeira

JM-Madeira

JM-Madeira

Data de publicação
12 Junho 2023
14:01

O presidente do Governo da Madeira, Miguel Albuquerque, lamentou hoje a descida do Marítimo à II Liga de futebol e disse que os clubes regionais devem fazer uma reflexão sobre novas formas de financiamento do futebol profissional.

"Temos de fazer uma reflexão relativamente ao futebol profissional porque o Governo Regional não tem condições, nem é politicamente aceitável, meter mais dinheiro no futebol profissional do que aquilo que está estabelecido na lei", disse.

O governante madeirense falava à margem da cerimónia de atribuição da Insígnia Autonómica de Bons Serviços, constituída por cordão, à Força Aérea Portuguesa, no Funchal, uma distinção do executivo PSD/CDS-PP pelos "serviços meritórios" prestados à região autónoma.

"Eu lamento imenso [a despromoção do Marítimo] porque foi uma situação que ninguém estava à espera, mas, infelizmente, em competição é assim", disse, para logo acrescentar: "Acho que, neste momento, temos de refletir e pensar para as nossas equipas regressarem ao mais rapidamente à I divisão."

O Marítimo, que acabou a I Liga no 16.º lugar e estava entre os ‘grandes’ ininterruptamente desde 1985/86, somando 38 presenças consecutivas, disputou no domingo, no Funchal, a segunda mão do ‘play-off’ de acesso à divisão principal com o Estrela da Amadora, o terceiro classificado da II Liga, e foi derrotado após prolongamento por 3-2 nos penáltis.

Hoje, o presidente do Governo Regional indicou que o executivo não pretende alterar a lei-quadro do desporto, que garante um apoio anual de 1,7 milhões de euros às equipas da I Liga - neste caso apenas o Marítimo - e de 850 mil euros às da II Liga, na qual se encontra o Nacional.

Com a descida de divisão, o Marítimo passará a receber metade da verba.

"Temos uma lei-quadro de financiamento do desporto que acho que é uma boa lei, abarca cerca de 150 clubes da região nas diversas modalidades [financiados num total de 12,7 milhões de euros] e o que entendemos é que devemos fazer uma reflexão relativamente às formas novas de financiamento do futebol profissional, mas isso cabe aos clubes, à direção dos clubes, e não ao Governo", declarou.

Miguel Albuquerque reforçou dizendo que "não vale a pena enterrar a cabeça na areia".

"É preciso refletir, o futebol mudou muito, a forma de financiamento do futebol profissional também mudou e é essencial os clubes da Madeira pensarem nisso", sublinhou.

LUSA

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Quem acha que vai governar a Região após as eleições de 26 de maio?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas