MADEIRA Meteorologia

'NÓS, Cidadãos!' diz que Susana Prada não disse a verdade toda sobre a falta de areia na praia do Porto Santo

JM-Madeira

JM-Madeira

Data de publicação
23 Junho 2023
10:57

Para o 'NÓS, Cidadãos!" é urgente proceder-se a uma grande recarga de areia na praia do Porto Santo.

"A Natureza lembra-nos, quase todos os dias, que os impactos do clima - e do nosso danoso e criticável comportamento neste mundo - estão a tornar-se cada vez mais graves, com fenómenos meteorológicos cada vez mais extremos e mais regulares", começa por enquadrar o partido.

"Quase todas as noites, os telejornais exibem-nos exemplos, um pouco por todo o planeta, de danos que estamos a causar e os efeitos devastadores e dramáticos/catastróficos desses mesmos danos. Negar estas evidências é querer negar a realidade, é querer negar que temos de mudar (e já) e colocar em risco o futuro da própria humanidade.

Para o NÓS, Cidadãos!, a Secretária Regional do Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas, Susana Prada, não disse a verdade toda ao afirmar ontem, no Porto Santo, que a praia do Porto Santo "estava magnífica no início do ano, mas veio a tempestade a Óscar" e "a energia das ondas veio buscar areia à praia".

Considerando que:

a) o aumento da temperatura está a acelerar o degelo em regiões tradicionalmente geladas - em glaciares montanhosos e, mais importante ainda, na Gronelândia e Antártida -, acelerando com isto o aumento da subida do nível do mar, conduzindo já na atualidade a um aumento do risco de inundações em zonas costeiras baixas onde vivem milhões de pessoas um pouco por o mundo, e Portugal é também um caso destes;

b) a subida do nível mar é uma ameaça extremamente grave, tanto para as nossas economias, como para as cidades e pessoas que vivem perto do mar e que terão obrigatoriamente de mudar de lugar (facto não evidenciado por qualquer responsável político regional e nacional);

c) a erosão costeira o avanço do mar são uma realidade e o recuo da linha de costa também já o é em algumas localidades de Portugal continental, pois o mar, no passado recente, destruiu propriedades e bens e vai continuar a fazê-lo (por esta razão, não se compreende as últimas construções realizadas em cima das dunas, no Porto Santo, o que também contribuiu em grande escala para o desaparecimento da areia da praia);

d) a erosão costeira pode ocorrer em horizontes temporais curtos (por exemplo, o recuo instantâneo associado a temporais, como foi certamente o caso com a depressão "Óscar"), dependente da variabilidade sazonal, ou em períodos de tempo mais longos, à escala interanual ou da década e aqui é fácil comprová-lo através de fotografias aéreas (cobertura aerofotográfica) que permitem comparar como era a praia de Porto Santo na década de 80 e 90 do século passado e agora, mais de 40 anos depois, e deste modo comprovar o claro e inegável recuo do seu areal);

e) as fotos enviadas em anexo a este comunicado foram tiradas no dia 26 de maio, ou seja, antes da depressão "Óscar", e já atestam não só a escassez de areal em partes da praia como um areal parcialmente coberto de calhau (manto rochoso basáltico ou cascalheira);

f) aquela que ganhou o prémio da melhor praia europeia de 2022, considerada uma das sete maravilhas de Portugal, está a perder a areia e o fenómeno não é novo, mas tem vindo a piorar, sobretudo nos últimos anos;

g) o aumento do volume de calor do mar aumentou drasticamente - e em especial nos últimos 25 anos - e continua numa trajetória ascendente, o que leva a uma consequência direta: as tempestades marítimas atravessam agora águas mais quentes e ganham por isso mais convecção, tornando-se mais fortes e destrutivas;

h) a situação é já preocupante e temos de intervir, pois a areia é um recurso natural, limitado, não renovável, e os estudos (e diversas imagens/fotografias) mostram que a natureza/mar tem levado a areia da praia de Porto Santo, mas nunca mais a repôs ao mesmo nível que a arrastou;

i) é urgente proceder-se a uma grande recarga de areia na praia do Porto Santo, e já em 2016 o especialista João Baptista considerava importante termos "ações concertadas de recarga de praia, nos sectores onde no passado também foi retirada areia para a construção civil e obras públicas, nomeadamente junto ao hotel Colombo’s Resort, ao hotel Luamar e mesmo junto à zona da Calheta, onde há determinadas depressões bastante acentuadas, que permanecem como cicatrizes da retirada desse material".

Perante o anteriormente manifesto, mas também porque é errado mentir e destruir o equilíbrio dos ecossistemas (e climático) - e certo dizer a verdade e dar esperança às gerações futuras -, o partido NÓS, Cidadãos! pede à Secretária Regional do Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas, Susana Prada, para que com sensatez, analisando todos os estudos já efetuados, diga toda verdade sobre o ocorreu na Praia de Porto Santo e proceda a uma grande recarga de areia, pois estivemos a retirar areia durante vários anos e ela tem de ser reposta! Com o conhecimento e a tecnologia de hoje é possível fazê-lo e dar uma resposta satisfatória que impeça danos maiores no futuro, danos que temos de evitar!", refere o partido.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Quem acha que vai governar a Região após as eleições de 26 de maio?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas