MADEIRA Meteorologia

CDU apela à garantia da proteção ambiental do sítio marinho na Ribeira Brava

JM-Madeira

JM-Madeira

Data de publicação
15 Junho 2023
10:20

A CDU, através do deputado no Parlamento Europeu João Pimenta Lopes, questionou a Comissão Europeia sobre as incidências ambientais da piscicultura na Ribeira Brava, designadamente, nas suas implicações para o sítio marinho ali existente, classificado e sujeito a especial proteção ambiental.

Para a CDU, era importante saber se tem ou não a Comissão Europeia dados que indiquem que uma ampliação tão significativa, quer em número de jaulas, na piscicultura no mar da Ribeira Brava, quer em capacidade produtiva, não colocará em causa a qualidade da água do mar e dos ecossistemas daquela zona e não inviabiliza a conservação dos recursos biológicos marinhos.

Conforme sublinha o partido numa nota enviada à redação, a legislação da União Europeia estabelece obrigações que visam limitar os eventuais impactos negativos das atividades aquícolas no meio marinho.

"Tendo em conta a Diretiva 92/43/CEE do Conselho, de 21 de maio de 1992, relativa à preservação dos habitats naturais e da fauna e da flora selvagens, a resposta da Comissão Europeia é muito clara: «o projeto Ribeira Brava é adjacente a um sítio marinho protegido ao abrigo da Diretiva Habitats. Nos termos do artigo 6.º, n.º 3, da referida diretiva, um projeto não diretamente relacionado ou não necessário para a gestão de um sítio protegido, mas suscetível de afetar esse sítio de forma significativa, deve ser objeto de uma avaliação adequada do seu impacto nos objetivos de conservação do sítio»", avança a mesma nota.

Estas preocupações da CDU que deram fundamento às questões colocadas à Comissão Europeia estão relacionadas com os impactos negativos da ampliação do projeto de piscicultura na Ribeira Brava (passagem de capacidade produção de 800 ton./ano para 2240 ton./ano), nomeadamente a contaminação do meio por substâncias orgânicas e químicas e do meio ambiente, com o aumento da produção de resíduos gerados em consequência das excreções metabólicas e alimento não consumido pelos peixes, a destruição de fundos marinhos, a potencial degradação da qualidade da água do mar e os efeitos indiretos na saúde de comunidades marinhas.

Assim, em face da resposta da Comissão Europeia, a CDU apela ao Governo Regional da Madeira para que concretize todas as recomendações de modo a impedir danos nas águas marinhas e na qualidade do oceano naquela zona, na Ribeira Brava.

Redação

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

O presidente do Marítimo tem condições para continuar no cargo após agredir um adepto?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas