MADEIRA Meteorologia

Artigo de Opinião

18/01/2021 08:00

É precisamente o Poder Local quem tem de ter a capacidade para responder às primeiras solicitações da população. Temos de estar preparados e, para tal, precisamos de todos os meios disponíveis para acudir todos aqueles que diariamente nos batem à porta. Não tenham qualquer dúvida, quem melhor conhece as realidades locais são, em primeira instância, as Juntas de Freguesia e logo depois, as Câmaras Municipais.

O papel do Poder Local é reconhecido ao nível nacional, estando por isso a ser preparado um leque de apoios que passarão por esses órgãos de poder.

Por cá, o Governo Regional continua de forma continuada a desprezar as autarquias, legitimamente eleitas pela população, privilegiando alternativamente as Casas do Povo e outras associações amigas do regime antes Jardinista, agora Albuquerquista. Desprezam o Poder Local, privilegiam instituições que não estão sujeitas a escrutínio público, longe do olhar da população. A promiscuidade entre o poder laranja, o Governo Regional e as associações amigas é por demais evidente! Diria, escandalosamente evidente.

Nestes tempos de pandemia, o mais importante é que a população seja claramente o foco de quem dispõe de milhões para acudir à crise social que já se instalou entre nós. Seja uma Junta de Freguesia, uma Câmara Municipal ou o próprio Governo Regional a gerir a bazuca europeia que está a chegar. Seja que entidade for, desde que gira essas verbas de forma transparente, isenta, sem fins político-partidários, sempre com o interesse da população como a principal preocupação. Ninguém pode ficar para trás.

No sentido de clarear estas questões mais políticas, foi solicitado, ao Coordenador Regional da Anafre-Madeira, uma tomada de posição sobre as palavras, desprestigiantes, que o Governo Regional, repetidamente, afirma de que quem realmente conhece e tem a capacidade para gerir as questões locais, são as Casas do Povo, remetendo, para um plano secundário, os órgãos de Poder Local, que, além de terem essas competências definidas por lei, são quem realmente conhecem e têm a capacidade para as gerir.

Ora, com muito espanto, esse Coordenador Regional, eleito pelos seus pares, remete a questão para os órgãos nacionais, sacudindo assim a "água do capote", reduzindo a delegação regional a um mero departamento de correspondência, sem opinião própria, sem capacidade para defender os seus associados, sem qualquer autonomia. Lamento, não me revejo nesta dependência regional em que se tornou a Anafre-Madeira, pois o seu papel político foi completamente apagado por um dirigente que coloca em primeiro lugar o seu partido em vez de defender as freguesias que o elegeram. Não só não defende quem o elegeu, como nem se digna a responder às questões que lhe são colocadas. Uma desilusão! Vemos tanta coisa a acontecer pelo país fora e por aqui há quem continue a assobiar para o lado, sem tentar sequer criar condições para que as Autarquias sejam a verdadeira voz das pessoas.

P.S.:. No dia 24 teremos as eleições para a Presidência da República. Apesar do confinamento, é importante que exerçam o vosso direito, pelo qual muitos lutaram para que fosse uma realidade. Vote, seja mais à esquerda, ou mais à direita, acima de tudo, escolha alguém que realmente represente a democracia, não se deixe ir em discursos fáceis e populistas, a nossa democracia merece a sua melhor escolha.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Qual o seu grau de satisfação com a liberdade que o 25 de Abril trouxe para os madeirenses?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas