MADEIRA Meteorologia

Artigo de Opinião

5/04/2022 08:00

O Governo do país determinou um conjunto de normativos que tal permitirão.

O Bastonário da Ordem dos Médicos surgiu na televisão dando conta de que estes profissionais, mesmo não falando a nossa língua, serão integrados em equipas com profissionais nacionais ou com médicos de outras nacionalidades que dominem bem o português, até que os recém-chegados consigam falar bem o português.

Considero que isto é um procedimento correto, que faz sentido e é vantajoso para ambas as partes.

Para aqueles que, privados de trabalhar na sua pátria, o podem fazer no nosso país e assim continuar com as suas vidas, exercendo a profissão para a qual estudaram. E também para o nosso país, que estando a braços com uma dificuldade evidente em recrutar médicos para responder melhor à nossa população, pode aqui encontrar uma ajuda.

O que já não é aceitável é que seja este mesmo Governo e esta mesma Ordem dos Médicos, aqueles que não foram e continuam a não ser capazes de encontrar as mesmas simplificações de processos para que, luso-venezuelanos ou mesmo venezuelanos, fugidos da ditadura chavista, chegados a Portugal continuem, meses, anos até, a aguardar por uma burocracia inultrapassável, limitadora, frustrante mesmo, para quem quer no nosso país continuar a exercer a sua profissão de médico.

Já sei. Dirão que são situações diferentes!

Se são assim tão diferentes, então deve ser explicado de modo claro em público, para que se possa compreender essas diferenças, que impedem um tratamento dos médicos luso-venezuelanos idêntico ao dado aos médicos ucranianos.

A bem da transparência e da decência. O Estado não pode parecer pai de uns e carrasco de outros!

2. Os comentadores parecem ter rejubilado com o discurso de Marcelo Rebelo de Sousa, na tomada de posse de António Costa, porque disse que o primeiro-ministro teria de acabar o seu mandato, estava amarrado a ele e logo não poderia ter tentações de assumir outras funções a meio.

Uma vez mais, deram prioridade a pormenores.

O Presidente da República sabe bem que não é possível esse determinismo e a forma com que apresentou a situação faz espantar.

Com tantas situações por resolver, com tantos temas enfiados na gaveta, sem vontade manifesta de resolução ou pelo menos de tentativa de resolução, surge descabido o levantar deste problema não existente.

Mas isso serviu para entreter o país comentador por mais uns dias.

Enquanto isso, Portugal foi ultrapassado por mais duas economias de leste, no que ao PIB diz respeito!

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Concorda com a mudança regular da hora duas vezes por ano?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas