MADEIRA Meteorologia

Nigéria vive situação "dramática" de perseguição a cristãos

JM-Madeira

JM-Madeira

Data de publicação
22 Junho 2023
10:05

A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) denunciou hoje a situação "dramática" dos direitos humanos e concretamente de perseguição à comunidade cristã na Nigéria, onde o rácio de civis mortos é de 7,6 cristãos para um muçulmano.

A situação piorou no último ano e está em foco no Relatório de 2023 da Fundação AIS sobre a Liberdade Religiosa no Mundo, pelo país em si, mas também porque, com mais de 200 milhões de habitantes, a Nigéria é o maior do continente e "desempenha um papel fundamental na geopolítica da África subsariana", sublinha a instituição.

Vitima de nacionalismo étnico-religioso e de extremismo islâmico, a população cristã - quase metade do total do país - é "a mais visada no meio de um agravamento da violência contra civis" por parte de "terroristas, grupos armados ‘jihadistas’ e criminosos nacionais e transnacionais", que atinge também a população "muçulmana e de religiões tradicionais".

A AIS fundamenta a avaliação em dados como os do Relatório sobre a Violência na Nigéria (2019-2022), publicado em fevereiro pelo Observatório da Liberdade Religiosa em África, que revelou que "o rácio global de cristãos/muçulmanos mortos é de 7,6/1".

Isto, refere, deve-se em muito às medidas legais que apoiam a discriminação da comunidade cristã nos estados do norte - o direito islâmico (‘sharia’) foi introduzido e vigora há anos em 12 dos 36 estados da Nigéria.

Nessas regiões, a situação agravou-se, uma vez que "a etnia e a religião se tornaram efetivamente um meio de obter poder, recursos e privilégios da Nigéria", destaca o relatório.

Lusa

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Quem acha que vai governar a Região após as eleições de 26 de maio?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas