MADEIRA Meteorologia

Gonçalves expressa “mágoa” devido ao Largo da Achada

JM-Madeira

JM-Madeira

Data de publicação
01 Abril 2021
5:00

João Gonçalves, o histórico ex-capitão do Nacional, conhecido como ‘camacheiro’, teceu críticas à gestão do Largo da Achada no centro histórico da Camacha, expressando mesmo “mágoa” por ver o estado daquele espaço, que classifica de “desprezado”.João Gonçalves, figura incontornável do Clube Desportivo Nacional e camachense ‘de gema’, manifestou ao JM a sua “mágoa” ligada ao Largo da Achada na Camacha, local central que considera estar “desprezado”, não abrangendo atividades no “desporto, cultura e lazer”.

Conhecido como ‘camacheiro’ no mundo do futebol, Gonçalves refere ainda que “o mercadinho deveria ser retirado para a frente ou oeste do largo ou então deslocado para as proximidades da igreja nova”. As instalações do mercadinho serviriam para “outras atividades artísticas e teatrais”, bem como para “balneários de espaço desportivo”.

Gonçalves declara mesmo que “chora aquele espaço”, pois foi lá que cresceu, sofrendo muito para “tornar-se jogador de futebol”.

O ‘fervoroso’ camachense denuncia ainda que “houve muitas oportunidades” para remodelar o largo, acrescentando que faltou “visão e competência” de pessoas que deveriam “ter olhado mais para a Camacha e menos para ‘guerras’ partidárias”.

João Gonçalves referiu ainda não conhecer o projeto de remodelação, mas deixou uma questão.

“É para construir um mini campo sintético? É uma aberração. Deve ter um piso diferente, que dê para várias modalidades. O povo da Camacha deve ser consultado antes. Eu como camacheiro tenho direito à minha indignação”, ressalvou.

João Gonçalves referiu ainda que a Camacha é a “vila madeirense mais conhecido no mundo”, devido ao “folclore, artesanato e por ser o primeiro sítio onde se jogou futebol em Portugal, no ano de 1875”.

O histórico capitão alvinegro termina a sua intervenção ao JM, evocando ainda a década de 50, onde vigorou uma proibição de “jogar à bola” no Largo da Achada.

“Finalmente, há quem me saiba explicar uma coisa? Nos anos 50 fomos proibidos de jogar à bola no Largo da Achada quando o presidente era um camacheiro? Quem souber que se explique, quais as razões que ditaram tal proibição. Porque encheram o respetivo campo de futebol do largo com entulho. Gostava que a Madeira soubesse isso”, rematou João Gonçalves.

Por Daniel Faria

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

O presidente do Marítimo tem condições para continuar no cargo após agredir um adepto?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas